• chocolate-tem-refrigerante-guarana-toddy-banana-achocolatado-feijão-fanta-cha-verde
    Curiosidades

    Bebidas que Contém Cafeína e Como Usar na Sua Dieta

    Provavelmente você já ouviu falar que o café não é a única bebida que possui o composto químico cafeína, que muitos amam e consomem logo nas primeiras horas do dia, mas talvez o que você não saiba é que a cafeína pode ser encontrada em mais de 60 tipos de plantas!

    A cafeína age diretamente no nosso sistema nervoso central, por isso seu consumo deve ser feito com prudência.

    Por se tratar de um estimulante natural pode trazer muitos benefícios para o nosso organismo, vamos te apresentar algumas bebidas que possuem cafeína e seus benefícios para consumo.

    Chás Feitos Com Ervas

    Os chás possuem uma quantidade baixa deste composto químico em sua composição, que varia de 20 a 90 gramas, essa variação de dá dependendo do fabricante.

    Chá-mate

    Um dos chás mais consumidos no mundo é o chá-mate que está presente em algumas receitas para o consumo além do tradicional, quente ou gelado.

    O mate pode ter uma quantidade de cafeína bem próxima do café, isso vai depender do solo e de qual modo a erva é cultivada. Normalmente uma xícara desse chá possui uma média de 20 a 30 miligramas de cafeína.

    Esta erva, tem efeitos positivos no nosso organismo, com efeito diurético, ajuda a controlar o inchaço e emagrecer, ajuda na circulação sanguínea, elimina as toxinas do organismo e combate a gordura do fígado.

    Chá-verde

    E sua composição também encontramos uma quantidade energética da cafeína, o chá-verde possui em média de 25 a 45 miligramas do composto em sua composição.

    Ingerir uma xícara de chá-verde pela manhã ou após alguma refeição, oferece uma boa dose de energia, essa bebida também é refrescante e pode ser servida fria ou quente, caso queira, também é possível misturar o chá-verde com alguma fruta.

    Ele também possui a vitamina K em sua composição, que auxilia no fortalecimento dos ossos, ácido fólico que contribui para prevenir anemia, também conta com potássio e magnésio.

    Assim como o mate, este chá também é diurético, auxiliando na perda de peso e ajudando a equilibrar o organismo.

    Chá-preto

    Sendo da mesma família do verde, já que sua origem é da mesma planta, a sua torra é realizada de maneira diferente, por isso ele ganha esse nome. A versão preta possui de 15 a 60 miligramas de cafeína em sua composição.

    Este auxilia na prevenção de doenças degenerativas, na digestão, acelera o metabolismo e auxilia no emagrecimento, melhora o humor e protege o coração.

    Achocolatados Lácteos e Chocolates

    Isso mesmo, derivados de cacau também possuem cafeína em sua composição.

    O cacau é uma fruta rica neste composto, então seus derivados possuem a substância em sua composição, desde o achocolatado utilizado para fazer algumas bebidas ao chocolate em barra.

    Ao consumir uma xícara de suco de cacau, pode-se ingerir de 3 a 50 miligramas de cafeína, consumindo 100g de chocolate ao leite a ingestão da substância fica de 3 a 30 miligramas, no caso do chocolate meio amargo a quantidade fica em torno de 15 a 70 miligramas!

    Quando consumimos uma xícara de leite com achocolatado de 240 ml, essa xícara pode conter de 5 a 10 miligramas de cafeína, que pode aumentar para 15 a 20 gramas, essa variação se dá de acordo com o tipo de achocolatado utilizado.

    Quanto mais amargo for, mais cafeína a bebida terá, enquanto um achocolatado comum fica em torno de 4 a 10 mg para cada 250 ml o meio amargo fica entre 17 a 23 mg para os mesmos 250 ml.

    Um copo ou uma xícara de chocolate pode trazer alguns benefícios, auxiliando em algumas funções no organismo, já que o consumo de suas calorias gera energia.

    Auxilia na liberação da serotonina no organismo, o que aumenta a sensação de bom humor e estar.

    Ajuda a proteger o coração devido a diminuir a pressão arterial e incentiva a produção do gás óxido nítrico, relaxando as artérias.

    Auxilia na proteção da pele ao sol, pois contém antioxidantes em sua composição, o que reduz os danos causados pela radiação UV.

    Refrigerantes e Gaseificados

    Os refrigerantes e bebidas gaseificadas possuem cafeína em sua composição, para alterar o sabor e manter o gostinho de quero mais, que acabam nos viciando um pouco. A cafeína presente nas bebidas podem variar chegando até 40 miligramas!

    Por exemplo, os refrigerantes de cola podem variar em sua composição de 30 a 39 mg de cafeína a cada 355 ml, a versão diet contém 35 mg. Em contrapartida, refrigerantes do tipo guaraná contém apenas 2 mg a cada 355 ml e a versão diet, 4 mg.

    Guaraná Natural Também tem Cafeína?

    Mesmo o fruto do guaraná também possui cafeína em sua composição, sendo considerado um ótimo estimulante natural, seja xarope ou em pó.

    O guaraná retarda o efeito do sono, auxilia na prevenção de cãibras, problemas gastrointestinais, enxaquecas e na arteriosclerose, um processo que atinge as artérias.

    Esses benefícios se dão, devido ao fruto ser rico em vitaminas, antioxidantes, possui ferro, fósforo e potássio.
    Para cada 240 ml de guaraná há cerca de 35 a 40 mg de cafeína.

    Bebidas Energéticas

    As bebidas energéticas também possuem uma grande quantidade do composto em sua composição, essa quantidade pode variar de fabricante para fabricante, vamos te apresentar alguns exemplos.

    Os energéticos Monster e Red Bull contém em sua composição uma grande quantidade de cafeína, em ambos pode variar de 75 a 80 mg para cada 250 ml, por outro lado temos o energético Burn que contém cerca de 36 mg de cafeína para a mesma quantidade de 250 ml.

    Como podemos ver existe uma boa quantidade de bebidas com cafeína em sua composição, além do café que costumamos consumir no dia a dia. Para ter uma dieta equilibrada é importante controlar a quantidade ingerida das bebidas citadas.

    É possível ter um consumo equilibrado e ainda conseguir bons aliados para a dieta, seja substituindo de vez em quando alguma bebida ou equilibrando seu consumo com a rotina que você já possui.

    Vale lembrar que a dose recomendada para consumo diário não deve ser maior que 400 mg.

    Referências:

    https://foodinsight.org/everything-you-need-to-know-about-caffeine-2/

    https://www.onegreenplanet.org/natural-health/vegan-health/caffeine-in-a-healthy-diet-tips-on-striking-a-balance/

    https://www.sleep.org/foods-with-caffeine/

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!
  • cafe-do-brasil-2020-melhores-marcas-gourmet-2019-especiais-marca-famosa-piores
    Curiosidades

    Qual é o Café Brasileiro Que Mais Ganhou Prêmios Por Todo o Mundo?

    Como adorador dessa bebida, você já se perguntou qual é o melhor café – e o mais premiado – que o Brasil produz? Aquele digno de um prêmio, literalmente falando!

    Pode parecer uma surpresa para você, mas temos sim, um produto brasileiro bem premiado. Um, inclusive, que já ganhou cerca de vinte quatro premiações do renomado Cup of Excellence.

    Contudo, antes de falarmos a quem pertence essa colocação, vamos descobrir como os cafés ficam elegíveis para essas premiações.

    O que um café precisa ter para entrar em uma premiação mundial?

    Não existe dúvida que escolher o melhor café entre os tantos produzidos no Brasil – ou fora – não é uma tarefa fácil.

    Por conta disso, foi determinado alguns pontos a serem levados em consideração para que os grãos sejam avaliados e aí liberados para entrarem nessas competições.

    E o que faz o produto ser reconhecido? Bom, os especialistas levam em consideração basicamente todas as características do café, desde o processo de produção, ao cultivo e até a torra. Além de cor, aspecto, umidade, defeitos e, claro, qualidade da bebida.

    Para entrar na Categoria Especial, onde o melhor café do Brasil se encontra, este precisa também ser certificado e apresentar rastreabilidade, ou seja, o consumidor ter acesso a informações como: onde o grão foi plantado, quais processos sofreram e como foi produzido.

    Também deve alcançar no mínimo 80 pontos – de 100 – na escala da Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA), que faz essa pontuação através do aroma, sabor e outros traços.

    Quando o café é classificado na Categoria Especial, ele fica elegível para concorrer não só o Cup of Excellence, mas em outras importantes premiações.

    Quais são os principais prêmios de um café?

    E quais prêmios um café de qualidade superior pode concorrer? Bom, podemos citar três principais: o Cup of Excellence, que já comentamos mais acima, o Coffee of The Year e o brasileiro Aroma BSCA – Associação Brasileira de Cafés Especiais.

    O Cup of Excellence foi criado em 2000 por um grupo de conhecedores de café, juntamente com apoio de ONGs e entidades do governo.

    O intuito dos amantes dessa bebida era simples: recompensar os produtores por seus esforços e trabalho. Hoje, a premiação é considerado o principal concurso de qualidade de café do mundo.

    Criado em 2012 com o objetivo de reunir os melhores cafés brasileiros, o Coffe of The Year tem uma dinâmica bem interessante. Além dos especialistas na área, que avaliam os produtos, a premiação conta também com a participação do próprio público – nada mais justo. Neste caso, os amantes de café são autorizadas a participar da fase final do concurso.

    Outro pronto interessante do Coffee of The Year é que parte da análise é feito as cegas pelos provadores, na primeira etapa da premiação.

    Só no ano passado, a competição recebeu cerca de 406 amostras de produtores brasileiros.

    Já a Associação Americana de Café Especiais foi criado por um fator mercadológico: a perda de consumidores. Com o intuito de mudar esse cenário, um grupo de pessoas ligadas a indústria do café fundou a associação em 1980.

    Nessa mesma época, Erna Knudsen, dona de uma importadora de cafés finos de São Francisco e uma das participantes da Associação, criou o termo “Specialty Coffee” ou café especial, que se tornou referência em todo o mundo para classificar produtos raros, bem específicos e com grande qualidade.

    Qual é o café mais premiado do Brasil e por que ele ganhou esses prêmios?

    Bom, agora que já sabemos o que o café precisa ter para entrar numa competição dessas e quais são as principais, chegou a hora de revelar o café mais premiado do Brasil.

    Esse título pertence ao grão Orfeu, que chegou ao mercado de cafés especiais em 2005.

    Ganhador, acredite se quiser, de vinte e quatro prêmios da Cuf of Excellence, nas categorias Natural e Cereja Despolpado.

    Além do COE, o Orfeu também levou premiações do Coffee of The Year, que acontece todo ano durante a Semana Internacional do Café. Nessa competição, o café brasileiro chegou a levar o pódio duas vezes, e em inúmeras outras ficou no top 10 do Brasil.

    Em 2017, durante a premiação da Associação Brasileira de Cafés Especiais, o Aroma BSCA, o produto ficou em primeiro lugar nas duas principais categorias da competição.

    O grão recebeu tantos prêmios assim não de forma aleatória. Ele se encaixa em todos os itens exigidos pelos especialistas, como qualidade, escolha de variedade, altitude onde o produto é plantado, processo de nutrição e secagem.

    No caso do plantio, por exemplo, este grão é plantado em altas atitudes, cerca de 1.300 metros, o que dá ao café uma doçura característica.

    Além de atender todas essas exigências, a Fazenda Sertãozinho, a produtora do café, é conhecida por ser a única do mundo com um sistema de gestão de qualidade ISO 9001, em toda a sua produção.

    É igualmente um item 100% rastreável em todo processo, do plantio, até o colhimento, da torra, embalo e entrega, que também é feita pela própria fazenda.

    Ainda por cima, após a torra, os grãos são selecionados manualmente, o que quer dizer que dificilmente você encontrará algum com defeito.

    Além da qualidade do café, a empresa também se preocupa com o meio ambiente e planta cerca de 2 mil árvores nas áreas de reserva da fazenda, para preservação da vegetação local.

    A marca é igualmente detentora do selo Ecocert, uma das maiores empresas locais certificadoras de produtos orgânicos em todo o mundo.

    E não se preocupe com valores, mesmo com tantas qualidades, os produtos da Orfeu possuem um custo bem acessível, para todos os bolsos. Sendo assim, você não terá problemas para experimentar o café mais premiado do Brasil.

    Referências:

    https://thecozycoffee.com/brazilian-coffee/

    https://coffeelikeapro.com/coffee-beans/best-brazilian-coffee-beans

    https://www.coffeereview.com/coffee-reference/coffee-categories/geographic-origins/coffees-from-the-americas/brazil/

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!
  • marcas-juan-valdez-preço-características-melhor-como-fazer-tipos-de-matiz
    Curiosidades

    Café Colombiano: O que É, Características, Diferenças e Marcas

    História e Características do Café Colombiano

    História

    O café chegou na Colômbia através de missionários jesuítas provenientes da Europa por volta dos anos 1700. Mas somente em 1835 essa produção voltou-se para a exportação, abastecendo consumidores europeus. Nessa época, o principal porto era o de Cúcuta e daí partia o café para terras europeias.

    A produção foi crescendo e em 1960, o café passou a ser o primordial produto exportado da Colômbia.

    Através da família cuidando da agricultura, estabelecida em propriedades pequenas e localizadas em altas altitudes, o seu cultivo foi então expandindo por todo território colombiano.

    A cultura cafeeira acaba sendo favorecida por toda a conjuntura geográfica deste país: presença de solo vulcânico e climas ideais em altitudes elevadas permitem o cultivo de grãos do tipo arábica, os quais por sua vez, exigem colheita manual.

    Sabe-se que a Colômbia atualmente exporta cerca de 11 milhões de sacas desse produto por ano, o que proporciona um giro de mais de US$ 2,5 bi.

    O país chega a produzir 12 % da bebida consumida no planeta, ficando em terceiro lugar perdendo somente do Brasil e Vietnã. E, embora o Brasil seja líder absoluto na produção cafeeira, o fato é que há algumas décadas estamos sofrendo com a concorrência colombiana. Na verdade, todas as regiões mundiais disputam essa posição de liderança, cada qual com o seu produto de qualidades peculiares.

    Características

    Sendo a Colômbia um país com regiões internas de climas tão diversificados entre si, o grão arábica acaba por produzir um café de qualidades igualmente diferenciadas entre eles.

    Dessa forma, cada região produtora tem o seu sabor peculiar de café. Grãos cultivados no norte, por exemplo, geram um café mais intenso, encorpado, com notas de chocolate e nozes.

    Já os grãos produzidos na região central do país proporcionam um café mais aromático, num mix de frutas e ervas. O do Sul, por sua vez, são mais ácidos com um toque marcadamente cítrico.

    Porém, independentemente da posição geográfica da sua produção, o café colombiano preserva suas características básicas em território nacional. São elas: suavidade, equilíbrio, corpo macio, doçura acentuada, nível acima do médio de acidez.

    Variedades de grãos do Café Colombiano

    Na produção desse café, são utilizados os grãos arábica e robusta. Enquanto grãos arábica, típicos das altas altitudes, produzem um café mais aromático com menos cafeína e amargor, o robusta, ao contrário, gera um café bastante encorpado e menos doce, com aroma menos pronunciado.

    Na variedade arábica, existem várias outras sub variedades, cada qual com sua característica peculiar:

    • Bourbon e Caturra: fortemente perfumado e doce no paladar;
    • Maragogipe : grãos de grande tamanho mas improdutivos;
    • Típico : é o tradicionalmente comercializado;
    • Tabi: sua produção é destinada ao café Gourmet;
    • Variedad Castillo: de qualidade semelhante aos demais arábicos.

    Diferenças entre o café Colombiano e o Brasileiro

    Nessa comparação, não pretendemos estabelecer qual objetiva ser o melhor produto, o mais saboroso, o mais forte ou mais suave, mas sim proporcionar ao leitor informações que possam agregar preferência ou identificação a um aspecto ou outro de ambas produções.

    Como vimos, o café sendo um produto que depende de terreno, clima, região e muitos fatores externos (do francês: terroir), o que acentua a identificação com o seu local de produção. Mas o que ocorre é que um mesmo produto pode ter diferentes características, de acordo com as características climáticas daquele momento em específico.

    É o que chamamos de “safra”. Safras podem gerar e fazer com que o mesmo produto seja totalmente diferente de um similar do ano anterior, pois mudanças climáticas e externas interferem na produção.

    A bebida colombiana é considerada mais suave do que a brasileira, devido às diferenças no modo de produção. Neste país, é utilizado pelos produtores (em maioria) o método do “café lavado”: após a colheita, os frutos permanecem em água soltando assim a polpa.

    Depois disso, eles passam pela fermentação, com tempo variável de duração de 12 a 36 horas e finalmente, são secados ao sol, naturalmente. Como resultado desse processo feito cuidadosamente por etapas, temos um produto brilhante, frutado e mais limpo.

    No entanto, o “café lavado” é comercializado internacionalmente com um produto do tipo “C”, o que significa que ele deve ser comercializado e consumido em até 6 meses, perdendo assim características importantes de cor, sabor e aroma.

    Já no produto brasileiro, todo esse sistema de produção é diferenciado. O processo denominado “natural” é realizado a seco, ou seja: o café é processado dentro da fruta. Não há aqui a etapa do “molho”, o que favorece bastante o produto brasileiro em vários quesitos, entre eles o sabor e o tempo de armazenamento.

    Sendo um produto mais forte e o outro mais suave, a solução recomendada é experimentar e decidir qual o mais apropriado para o seu paladar. No entanto, convém observar que são dois produtos com características bem diferenciadas entre si!

    Principais marcas no mercado

    Seguindo a qualidade dos seus grãos, o produto é dividido em três categorias:

    • Supremo – são os de qualidade mais elevada;
    • Extra – qualidade inferior ao Supremo;
    • Excelso: um mix em qualidade inferior dos grãos acima.

    Marcas de boa reputação são :

    Don Pablo Colombian Supremo

    Produto com qualidade suprema, cultivado na região de altitude acima de mil e duzentos metros. É doce, encorpado, suave e levemente ácido, com notas cítricas. Preço médio 150 reais / kg.

    Volcanica Columbian Peaberry

    Essa variedade é composta por grãos também de qualidade quase supremas, produtos desenvolvidos através da genética, cultivados em terra vulcânica de altas altitudes, Isso só poderia resultar num café único, com notas de chocolate, malte, cereja, nozes, finalizando com toques de madeira e chocolate. Preço médio R$ 70 / 500g.

    Juan Valdez

    Essa marca reúne produtores das mais variadas regiões, tais como Nariño, Sierra Nevada, Cauca, Huíla e etc. Por isso, não há somente um único sabor que a caracterize. Ao contrário, a marca era descrita como um universo de aromas e sabores feitos por baristas especializados que servem milhares de pessoas com incríveis cafés.
    Preço gira em torno de R$ 36,00 / 500 gramas.

    Agora que vimos as particularidades do Café Colombiano, o jeito é correr até o mercado mais próximo para comprar um pacote deste produto e decidir na prática se está aprovado ou não, ao nosso paladar.

    Referências:

    https://www.homegrounds.co/colombian-coffe

    https://www.cafedeluxe.com/best-colombian-coffee/

    https://www.littlecoffeeplace.com/colombian-coffee-brands

    https://www.thecoffeebeanmenu.com/colombian-coffee-brands/

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!
  • preço-melhor-é saudável-como fazer-cremoso-diferença para o normal-cremoso-marcas de
    Curiosidades

    Café Solúvel: O que É, Diferença Entre seus Tipos e Como é Feito

    Conheça tudo sobre os ingredientes, componentes, etapas e processos para fazer e tomar o seu café

    O café é uma especialidade que é muito próspera em solo brasileiro, tendo fãs e adeptos extremamente fiéis ao hábito de seu consumo no mundo todo e algumas pessoas até idolatram a sua existência.

    Desde sua aparição na história, esta bebida evoluiu de forma a se adaptar a realidade das pessoas em geral, inclusive no trato medicinal graças ao avanço das tecnologias.

    Há quem prefira uma única xícara ao dia, como também há quem não viva e não exerça suas tarefas com bastante cafeína presente ao longo do mesmo. E uma das versões encontradas disponíveis em mercado é o café solúvel.

    Por isso, preparamos esse conteúdo para que você possa ficar por dentro de todos os detalhes que envolvem esta bebida tão famosa e faça a sua melhor escolha! Acompanhe!

    O que é realmente?

    O café solúvel é uma maneira prática e muito saborosa de se consumir a bebida. A preferência por este tipo de bebida é igualitária ao café coado mundialmente só que possui algumas vantagens em seu consumo.

    Isso porque é possível encontrar em seus fabricantes algumas versões que oferecem os grãos do tipo 100% Arábica, fato esse que contribui expressivamente para a preservação do aroma, do sabor e do frescor do café natural.

    Além disso, devido a praticidade que é o ponto principal desta variação, a acessibilidade a bebida se tornou ainda maior, fato esse que contribui para a sua expansão no mercado e interesse das marcas em trabalhar com esta variação a fim de proporcionar cada vez mais, um jeito melhor de fazer café aos consumidores em geral.

    A promessa é facilitar o ato tão valorizado de se tomar o “cafezinho” no dia a dia, contribuindo assim para a rotina movimentada da maioria das pessoas atualmente.

    Como ele se tornou instantâneo e por quê?

    Apesar do café instantâneo já ter sido evidenciado pela primeira vez através do cientista japonês Satori Kato em 1901 em Chicago, sua notoriedade e fama só aconteceu em 1930 pela Nestlé no governo Vargas.

    Neste período de crise mundial, a produção de café no Brasil que estava ocorrendo a todo vapor, acabou se tornando muito superior ao consumo nacional e internacional, devido aos reflexos da crise.

    Nesse momento, a economia nacional sofreu um grande golpe devido a falta de consumo, fato que fez o governo adotar medidas drásticas, como queimar toneladas de café ao ar livre. Isso porque a produção de café nesta época era uma das principais fontes de renda ao país e sua exportação também sofreu com os impactos da crise mundial.

    A partir daí, através de uma ideia do governo a fim de conter a crise e realizar o aproveitamento da grande quantidade de matéria prima disponibilizada e sobrando em nosso território, a Nestlé, marca já existente naquela época, recebeu uma grande missão: a tentativa de transformar nosso café em uma versão instantânea assim como já havia sido feito com sucesso ao transformar o leite em pó. A ideia foi reproduzida visando aumentar a validade dos cafés e evitar desperdícios.

    A ideia foi extremamente bem-vista pelos diretores da marca que investiram seus conhecimentos existentes a fim de procurar uma maneira eficaz de realizar essa transformação e alavancar o lucro da empresa.

    Quais são os maiores produtores e exportadores na atualidade?

    De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (ABICS), o Brasil corresponde como maior produtor e exportador de café solúvel mundial atualmente, fato favorecido pela cultura cafeeira do país, adaptabilidade do solo aos grãos e clima favorável ao cultivo e desenvolvimento do café.

    Segundo uma pesquisa divulgada pela Organização Internacional do Café – OIC no período de Outubro de 2019 a Junho 2020 o país exportou cerca de 2,94 milhões de sacas de 60 kg.

    No mesmo período aparecem também os demais países como:

    • Índia, com a produção e exportação em 1,36 milhão de sacas;
    • Indonésia apontando resultados de 1,23 milhão de sacas;
    • Vietnã com números de 1,09 milhão de sacas;
    • México com cerca 670 mil de sacas;
    • Colômbia que registrou 630 mil de sacas.

    Esses 6 países contribuem com cerca de 91,7% de responsabilidade pela produção e exportação de café mundial sendo pilares extremamente importantes para a economia.

    Como o café solúvel é feito?

    Basicamente, os processos da fabricação do café solúvel seguem as demais etapas dos outros tipos de produção da bebida que compõe as fases de seleção, torra e moagem dos grãos. A diferença acontece após o processo de moagem, pois a partir daí o café que tem destino a se tornar solúvel passa por um processo de hidratação e desidratação controladas e automatizadas, sem nenhum tipo de contato humano nestas etapas.

    Na fase de hidratação, ocorre o processo de extração dos compostos do café, a fim de que sejam preservadas as características originais da bebida, que são refletidas no aroma e sabor. Em seguida, é realizado o processo de desidratação ou secagem do café instantâneo, o que resulta no formato final que temos hoje em dia, quer seja em pó ou em grânulos.

    Atualmente, existem algumas maneiras específicas na desidratação do café, as quais originam alguns tipos de café solúveis encontrados no mercado.

    Quais são os 3 tipos que existem e como são?

    Como já mencionado, as diferenças no processo de desidratação ou secagem do café geram algumas classificações que são comercializadas atualmente, entre elas: o café solúvel Aglomerado, Liofilizado/Freeze Dried e Spray Dried. Confira então, algumas características importantes acerca dos processos existentes:

    • Spray Dried:

    Neste procedimento, o café é levado a altas temperaturas, como também a uma alta exposição de pressão através de equipamentos específicos para o processo. Em seguida, os grãos são pulverizados e expostos ao ar quente resultando apenas no pó solúvel, o qual utilizamos para a comercialização.

    • Aglomerado:
  • Após passar pelo mesmo processo do Spray Dried, o pó resultante sofre um processo de aglomeração através do vapor em um equipamento destinado a este procedimento, com pressão e velocidades controladas para atingir o objetivo. O pó resultante desse processo possui características de aroma e sabor mais atenuados, sendo o diferencial deste tipo de comercialização.

    • Liofilizado ou Freeze Dried:

    Considerada uma técnica recente, neste procedimento o extrato de café é congelado a -40°c e só após é moído, seco e passa direto do estado sólido para o gasoso, processo que é conhecido como sublimação. Este passo a passo visa preservar ao máximo aspectos sensoriais do café trazendo ao consumidor final um sabor mais apurado possível da bebida natural. Não é a toa que essa forma de produção é a preferida dos consumidores de café solúvel atualmente.

    Qual a diferença entre ele e os normais/tradicional?

    Os grãos do café sofrem os mesmos processos básicos de moagem e torragem, independentemente de sua classificação. A diferença acontece no momento do preparo final para o consumidor. Enquanto o café tradicional precisa ser coado, o café instantâneo basta ser dissolvido em água e a mágica acontece: lá está ele pronto para ser apreciado!

    O café coado é melhor que o em pó instantâneo?

    Em requisitos de resultado final, ambos tipos de café possuem a sua qualidade. Isso porque como o café instantâneo tende a perder um pouco de suas características devido a sua forma de preparo, muitas marcas investem em melhorar a qualidade dos grãos sendo em muitos casos, encontradas marcas de café solúvel com grãos do tipo 100% arábica.

    Essa preferência pelos grãos de maior qualidade de forma estratégica, como já dita anteriormente tende a tornar a bebida solúvel extremamente saborosa, sendo vista como uma competidora equilibrada do café coado que por sua vez, possui em sua composição o blend entre café do tipo robusta e o café arábica.

    Composição e pureza:

    No café solúvel, devido a sua forma de produção, tende a ocorrer a maior concentração das características originais do café, sendo extremamente semelhante ao café puro. Essa preservação das características sensoriais originais são um diferencial que faz com que o café solúvel tenha seu reconhecimento no mercado atual.

    Facilidade para preparar:

    A bebida instantânea tende a ser mais prática devido a sua forma de preparo, pois basta misturar água quente em uma xícara com o pó e facilmente temos a bebida ideal.

    Isso evita o consumo de filtros de papel, sendo ecologicamente recomendado além de se tornar um ideal aliado a pessoas que tendem a ter uma vida corrida, moram sozinhas, precisam cuidar de muitas coisas ao mesmo tempo e ainda assim, consideram-se verdadeiras adeptas a uma boa xícara de café (ou mais!) no seu dia a dia.

    Existe diferença no aroma e no gosto?

    O café moído ou em grãos tendem a ter uma composição maior de blends, resultando em um sabor mais encorpado, adocicado e menos ácido. Já os cafés solúveis devido a sua forma de fabricação, com exposições a cenários de variação de temperatura, pressão e vapor, perdem um pouco mais o aroma e sabor do que os demais tipos de café.

    Essa pequena diferença é compensada na escolha dos grãos tipo Arábica, como já mencionadas ao longo desta matéria. Isso faz que, em quesitos de comparação final, ambos tipos de cafés tenham um sabor e qualidade semelhantes.

    Vale o seu custo-benefício?

    Sim, no mercado o café solúvel é mais barato do que os demais tipos de cafés encontrados. Existem algumas exceções que encarecem o produto, que são compostas por marcas que oferecem uma versão especial/gourmet do café. Nesse caso, realmente o café solúvel apresenta-se de forma mais cara do que o comum.

    Outro ponto que influencia bastante no custo-benefício do produto é a exclusão da necessidade de aquisição de outros materiais/itens para preparo do café. Com o café instantâneo não há a necessidade de cafeteiras, coadores, nem máquinas expressas, independente do porte. Basta apenas água, uma xícara e próprio pó. Essa diferença compensa bastante no bolso do consumidor e é um ponto a favor da bebida.

    O quanto é durável e pode-se conservar?

    O solúvel em suma, possui uma duração maior do que os demais tipos de café. Isso ocorre porque seu armazenamento apenas dispõe da necessidade de manter a embalagem em um lugar limpo, seco e arejado. Mantidas essas condições, o café solúvel consegue estender sua durabilidade até a validade prescrita em embalagem.

    Nos demais casos, como o café moído, é recomendável manter o pó na geladeira, e ainda assim por pouco tempo, a fim de conservar a vida útil e potência de sabor do mesmo por mais tempo. Contudo ao longo dos dias, se não for utilizado, o café perde suas características originais.

    Tem menos ou mais cafeína?

    Quanto ao quesito de concentração de cafeína, o café moído possui uma maior concentração do que o café solúvel.

    Parte desta responsabilidade advém do processo de produção do café do solúvel, que acaba extraindo em maior quantidade a concentração de cafeína existentes do produto final.

    Conclusão:

    Para finalizar, que tal relembrar algumas curiosidades que passamos a você através desta leitura?

    • Café solúvel e café instantâneo é praticamente a mesma coisa;
    • O café moído possui um sabor mais intenso do que o solúvel;
    • O solúvel é mais prático para preparo, além de ser ecologicamente aconselhado;
    • O café moído possui maior concentração de cafeína do que o solúvel;
    • O café preparado através do método da aglomeração, apresenta-se em forma de grânulos e os demais, em forma de pó. Contudo, isso em nada difere a sua solubilidade;
    • Tanto a versão moída quanto o solúvel possuem baixas calorias;
    • Enquanto o moído gera resíduos após o processo de coação, o instantâneo não apresenta resíduos;
    • A conservação e durabilidade do café solúvel são maiores.

    Independente do meio escolhido, o tipo de café e o tipo de preparo, é certo que esta tradicional bebida merece ser apreciada. Esperamos que todo este conteúdo possa ter ampliado seus conhecimentos a cerca desta variação e possa ser útil a guiar sua escolha.

    Referências:

    https://www.mashed.com/213334/the-untold-truth-of-instant-coffee/

    https://elevencoffees.com/how-is-instant-coffee-made/

    https://stir-tea-coffee.com/features/new-instants-technological-advances-soluble-coffee-an/

    https://www.nestleprofessional.co.uk/news/insights/how-coffee-is-made

    https://ineedcoffee.com/the-history-of-instant-coffee/

    https://victorallen.com/blogs/coffee-101/difference-between-ground-coffee-and-instant-coffee

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!
  • receita-dois frades-gelado-receita caseiro-dolce gusto-com chocolate-maquina de-wikipedia
    Receitas e Dicas

    O que é o Mocaccino, Receitas, Como Fazer e Diferenças para o Cappuccino

    Veja de que é feito, seus tipos e como fazer a versão italiano

    Você sabe a real diferença entre a bebida Cappuccino e o Mocaccino? Você de fato já imaginava que há alguma diferença entre eles?

    As vezes quando vamos a uma cafeteria o pedido soa de maneira automática e nem percebemos que há alguma diferença entre os cafés.

    Quando a preparação é feita em casa, a confusão é ainda maior. Será que a preparação caseira se refere ao tradicional Cappuccino ou é um verdadeiro Mocaccino?

    Embora sejam muito semelhantes, há especificidades que os diferenciam um do outro.

    O que é o Mocaccino ou Café Mocha?

    Essa bebida tão apreciada, também é conhecida como Café Mocha. Se você já ouviu esse nome, saiba que é o mesmo que Mocaccino.

    No entanto, independentemente da sua nomenclatura, a sua preparação utiliza os ingredientes a seguir:

    • Café do tipo espresso;
    • Leite em pó;
    • Espuma do leite;
    • Calda do chocolate;
    • Chocolate em pó.

    Se tiver um café espresso em mãos é possível realizar o preparo em casa mesmo. A ideia é criar três camadas de cores distintas sendo a base de chocolate, o café mais o chocolate em pó misturado com leite e por último a espuma do leite.

    Após fazer as camadas, adoçar se desejar e mexer devagar para dar cremosidade e intensidade à bebida.

    O que o faz ser parecido com um cappuccino?

    A semelhança com o Cappuccino se deve pela inserção de quase todos os ingredientes iguais, exceto a calda de chocolate.

    Em qualquer uma dessas bebidas pode acrescentar o chantilly para agregar ainda mais sabor.

    Ambas são fruto de uma união perfeita entre o leite e o café os quais agradam e muito o paladar.

    E o que o faz diferente?

    Mas se basicamente cada um deles utilizam quase os mesmos ingredientes, o que de fato os diferenciam um do outro?

    A diferença então, está no modo de preparação e nos ingredientes adicionais, especificamente a calda de chocolate na base da xícara.

    • Cappuccino – Na versão tradicional todos os ingredientes são dispostos igualmente na xícara. São eles, o leite, o café expresso e o leite vaporizado. Há versões mais atualizadas que acrescentam o chantilly, a canela, o chocolate em pó e ainda a raspa de chocolate.
    • Mocaccino – Já para realizar o preparo do Mocaccino, a quantidade de leite é menor, é dividido em três camadas e o diferencial com dito anteriormente é a calda do chocolate como base.

    Ambas opções, devem ser servidas bem quente!

    O que faz o Mocaccino ser a favorita entre os amantes do café?

    O Mocaccino passou a ser uma bebida muito comentada e se tornou a favorita de milhares de pessoas.

    Sim, há quem diga que o dia não é o mesmo sem um bom café.

    Na região da Europa e dos Estados Unidos a sua fama é ainda maior, pois ele é um excelente aliado das pessoas nos dias frios.

    Há aproximadamente 15 anos, o Mocaccino entrou na lista das melhores bebidas à base café e garantiu uma posição entre as Top 5. Desde então, nunca mais saiu.

    O que combina para comer enquanto se delicia com um?

    Se você deseja servir essa deliciosa bebida para seus familiares e/ou convidados, abaixo colocaremos algumas dicas de acompanhamentos.

    Bom, ela combina em diversas possibilidades como nos dias mais frios, logo após o almoço e/ou no café da manhã ou tarde.

    Então, com o que devo servir o Mocaccino?

    • Para dar mais requinte à refeição especialmente para encontros tradicionais, você pode optar pelos biscoitinhos finos;
    • As crianças adoram cookies e, por isso, para ambientes familiares essa é uma excelente alternativa;
    • Um bom pãozinho de queijo combina com todos os tipos de café, e com o especial Mocaccino essa combinação fica ainda mais atraente e perfeita;
    • Tortas diversas e bolos também são opções saborosas que podem ser servidos com essa bebida;

    Saiba que qualquer uma dessas escolhas deixará a sua refeição refinada e muito prazerosa.

    Onde comprar?

    Devido à enorme predileção pela bebida, é possível encontrá-la em inúmeros e requintados estabelecimentos ao longo do território brasileiro. A Starbucks, foi a marca responsável por favorecer a sua popularização.

    Para garantir um Mocaccino de qualidade, é importante optar por locais especializados nessa bebida e/ou em outras cujo a base é o famoso e querido café.

    Se você ainda não apreciou um bom e verdadeiro Mocaccino, não perca tempo ao passar por uma cafeteria e experimente. Sem dúvidas, após o primeiro contato, você nunca mais ficará sem.

    Certamente é uma experiência única e amor à primeira vista!

    Como fazer a versão italiana em casa?

    Se deseja experimentar logo e gostaria de fazer em casa, separamos uma receitinha excelente para você:

    INGREDIENTES:

    • 1 colher (sopa) com leite em pó;
    • 1 colher (sopa) com chocolate em pó;
    • 2 quadradinhos de chocolate meio amargo ou 70% cacau;
    • 1 cápsula ou xícara com café do tipo espresso;
    • Espuma do leite bem batido ou chantilly;
    • Um pouco de água (para fazer o espresso).

    PREPARO:

    • Coloque os tabletes de chocolate na xícara e derreta (pode ser no micro-ondas de 30 segundos a 1 minuto);
    • Coloque a água, a cápsula na cafeteira e extraia o café como de costume;
    • Dissolva o leite em pó em água quente, adicione o chocolate em pó e mexa bem;
    • Adicione na xícara, mexa bem devagar até obter cremosidade e por cima acrescente espuma do leite (pode ser feita com a própria cafeteira) ou Chantilly;
    • Aprecie com as combinações que desejar.

    Onde encontrar para tomar um ótimo Mocaccino?

    Uma reunião importante, um café entre amigos ou em família carece de um lugar aconchegante e que forneça um bom cafezinho não é mesmo?

    Se deseja fechar um negócio importante ou colocar o papo em dia com os amigos, as cafeterias se tornaram a preferência especialmente nesses casos.

    Existem várias espalhadas por todo o Brasil, e para encontrar uma para apreciar um bom Mocaccino talvez não seja tão difícil.

    A internet é uma grande aliada, e você pode pesquisar o café mais próximo da sua cidade.

    Vale ressaltar a importância e pesquisar sobre o estabelecimento e para evitar transtornos, dê preferência aos que possuem boas recomendações.

    Referências:

    https://laboratorioespresso.it/en/mocaccino-recipe/

    https://en.wikipedia.org/wiki/Caff%C3%A8_mocha

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!
  • cafe-liofilizado-como fazer-marcas-faz mal-significado-comprar-benefícios-lor-3 coracoes
    Curiosidades

    Café Liofilizado: Como Foi Descoberto, Como É Feito e O Que É?

    O que significa um café ser liofilizado? Ele deve ser solúvel e instantâneo para ter essa definição?

    Sendo um produto mundialmente apreciado, o café tem posição garantida na mesa de famílias de qualquer classe social. Dentre os vários tipos de café, o liofilizado atrai preferência de muitos, pela simplicidade e rapidez no preparo (basta hidratá-lo com água quente) e por conservar por mais tempo os atributos naturais dos grãos de café.

    Esse produto passou por um moderno e sofisticado sistema de produção. É tão solúvel e instantâneo quanto os demais solúveis instantâneos que estão no mercado, mas não é o mesmo produto. Seu aroma, sabor e textura são diferenciados.

    O que é o café liofilizado? Por que ele tem esse nome?

    Esta técnica permite conservar produtos através do congelamento e da desidratação.

    França 1906, foi quando foi criado este processo, mas só passou a ser amplamente utilizado na época da Segunda Grande Guerra, para poder estocar e transportar em plasma sanguíneo.

    Liofilizado é o café produzido a partir do processo de “liofilização”, um processo moderno e sofisticado em constante aperfeiçoamento, que utiliza equipamentos de alta tecnologia.

    Também conhecida como “Freeze Drying”, a técnica é muito utilizada para produzir a comida dos astronautas, dos soldados de exércitos em operações militares, dos mochileiros em aventuras pelas montanhas (as chamadas Trekking) e também na produção do leite em pó e na indústria de medicamentos.

    Quais são suas características?

    Pelo fato de ser produzido exclusivamente com grãos Arábica, o café liofilizado possui mais um grande diferencial. São grãos provenientes de plantações de altitude, com climas mais amenos. É uma produção mais elaborada e dispendiosa, uma vez há a preocupação em manter as qualidades originais inerentes ao café.

    Dos mais de cem tipos de grãos de café, Arábica e Robusta são os mais utilizados na produção de café e o Arábica é o líder detendo mais de 60% da produção mundial.

    Comparado com o Robusta, os grãos Arábicas produzem um café mais adocicado e fortemente perfumado.

    Qual a sua origem e como foi que ele surgiu?

    Em 1901, surgiu em Chicago (EUA) aquela que foi considerada a primeira versão do café instantâneo, era apenas um tipo de “rascunho” simples, o qual foi sendo aprimorado pouco a pouco. No entanto, foi somente em 1910 que teve início a comercialização desse “protótipo melhorado” de café.

    Durante a Primeira Guerra Mundial, o produto foi amplamente utilizado pelas tropas de soldados em combate. Já havia a necessidade de obter uma melhora na produção e na qualidade do produto. Até essa época, havia apenas dois processos de secagem de grãos na produção de café: o spray dried e o aglomerado. No primeiro, a secagem é feita por pulverização no vácuo e no segundo, o café moído é aglomerado em vapor. Nos dois processos, o produto perde suas qualidades originais de sabor e aroma.

    Após a Guerra, o Brasil precisava encontrar uma solução para o excedente da produção em grãos e a solução foi recorrer à uma moderna tecnologia internacional.

    Os produtores locais desejavam uma tecnologia que garantisse a preservação das maiores qualidades olfativas e gustativas do café e foi assim que,em 1938,a Nestlé colocou no mercado brasileiro o Nescafé, primeiro café solúvel e instantâneo produzido em larga escala.

    Como é feito seu processo de produção?

    Primeiramente, seu extrato (líquido superconcentrado extraído dos grãos do café) é congelado a -40º, permanecendo um bloco sólido de gelo. Esse congelamento é processado de uma maneira extremamente rápida, para a conservação das características originais do café. Em seguida, ele passa pelos processos de trituração do tipo moagem – que transforma os grãos em pó.

    Na sequência, ocorre a secagem e armazenamento a vácuo e finalmente nesse estágio ocorre o ponto mais importante desse processo todo, que é a sublimação, ou seja: utilizando tecnologias modernas, o sólido passa diretamente para o estado gasoso, garantindo assim que reste apenas o café puro ao final de todo esse procedimento. Só depois disso, o café será embalado da maneira como o encontramos em variados pontos de venda.

    A liofilização (ou freeze – drying) é um processo altamente eficiente no quesito “conservação e durabilidade das propriedades naturais”. Muitos cientistas acreditam mesmo que o futuro da alimentação estará fundamentado nesta técnica, pois esse processo é muito mais eficiente que o antigo procedimento da desidratação e os alimentos liofilizados conservam suas propriedades por muito mais tempo. Mas, claro, só pode ser usado essa técnica em alimento que é naturalmente rico em água.

    Quais a vantagem e benefícios desse café?

    A liofilização tem o objetivo de preservar as características originais dos grãos de café. Com isso, temos um produto nobre, de grande valor. Propriedades originais reforçadas: aroma, sabor, textura, componentes ativos.

    De tudo isso, só poderia resultar num café encorpado, bem diferente do tão comum café quase sem gosto tomado na pressa do dia-a-dia.

    Uma grande vantagem do café liofilizado é que o próprio consumidor definirá a intensidade do seu café, Se quer mais forte, mais colheres do produto na xícara.

    Se quer mais suave, menos. Açúcar a gosto, alguns preferem superdoce e outros apreciam um sabor mais amargo. Outros ainda optam pelo adoçante. Enfim, há gosto para tudo, mas o essencial é saber que o café pode ficar exatamente como o consumidor aprecia.

    Existem no mercado e em lojas especializadas várias marcas de café liofilizado à disposição do cliente. As marcas mais fáceis de encontrar são as seguintes: Itália, Nature, Café Pelé, Iguaçu, LOR, Nescafé, Suplicy, Mount Hagen. Mas é bom prestar atenção e ler com calma as informações do rótulo, porque muitas vezes os cafés assim feitos são anunciados simplesmente como Café Solúvel Gourmet.

    É verdade que os preços variam enormemente de um produto a outro, com oscilações por exemplo de 8 a 80 reais por 50 a 100 g do produto, fazendo assim jus à característica cosmopolita desse produto universal, largamente consumido nos quatro cantos do planeta. Um café é um dos poucos produtos presente em todas as mesas, desde as mais humildes às mais sofisticadas.

    Referências:

    https://www.gratefulearthcoffee.com/blog/the-healthiest-instant-coffee

    https://elevencoffees.com/how-is-instant-coffee-made/

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!
  • Xícara Preta de Café Brasileiro
    Curiosidades

    História do Café e o Seu Consumo no Brasil e no Mundo

    Saiba tudo sobre o café, de onde veio, quem é o maior produtor, quais fazendas e indústrias exportam mais e quais são seus tipos de grãos

    O café, além de ser uma bebida extremamente tradicional, possui na história de seu descobrimento peculiaridades que dificilmente são conhecidas e comentadas. É imprescindível reconhecer sua importância pois depois da água, o café é considerada a bebida mais consumida em todo o mundo.

    Por isso, preparamos este conteúdo com o objetivo de revelar o máximo de informações sobre esta iguaria de nível mundial, que sempre arremata novos adeptos, nunca fica ultrapassada e é de suma importância para a saúde e vida de muitas pessoas.

    Qual a origem e história do café?

    Segundo fontes históricas, o descobrimento do Café ocorreu no Continente Africano, na Etiópia, cidade de Cafa. Um pastor começou a observar que suas cabras passavam a ter um comportamento diferenciado quando ingeriam das folhagens da plantação de café.

    Em contrapartida, em outros cantos do mundo também já eram observados os benefícios do café, inclusive como uso medicinal, primeiramente na região Arábica. A popularização se expandiu de tal maneira, que ao longo do tempo países como Egito e Turquia também já faziam o consumo do café.

    Quando finalmente chegou-se a Europa no século XVII a consolidação da planta e da bebida foram confirmadas mundo a fora.

    Quem trouxe as primeiras mudas e sementes, como chegou e como foi feita sua plantação no Brasil?

    Falando em Brasil, as primeiras mudas e sementes chegaram em solo nacional em 1727.O plantio foi realizado pelo Sargento Francisco de Mello Palheta que transportou uma muda para o Brasil, chegando até a cidade de Belém, no Pará.

    Relatos dizem que o sargento português veio ao Brasil com a missão de fiscalizar um tratado e consequentemente, trouxe mudas de café escondidas para realizar sua plantação.

    Infelizmente, devido ao clima de Belém, o cultivo do café não conseguiu ser realizado de forma bem sucedida o que levou a uma migração de mudas para o Maranhão e em seguida, a Bahia por volta de 1770.

    Quatro anos depois, a plantação chegou ao estado do Rio de Janeiro, e logo espalhou-se para os demais estados como: Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Paraná.

    O que houve para acontecer a crise do café e como ela afetou as fazendas produtoras?

    Com a grande crise de 1929, o Brasil também foi diretamente afetado. Isso porque seu principal e único produto produto de exportação, o café, era principal fonte de arrecadação de fundos estrangeiros.

    Além da dependência pela exportação, o Brasil possuía altas dívidas externas que eram financiadas através das vendas desses produtos. Em um ano, as arrecadações por meio do café caíram de US$ 445 milhões para US$ 180 milhões, isso porque a crise diminuiu a renda e por consequência o consumo em todo o mundo.

    Para incentivar a lei da oferta e da procura, o governo federal da época decidiu comprar os estoques dos produtores e fez a queima de 80 milhões de sacas do produto. A tentativa, embora visasse aliviar um pouco do impacto dos produtores de café do país e valorizar a compra no exterior, não foi suficiente para conter os impactos financeiros.

    De outro lado, a crise do café estimulou o país a empregar seus esforços na geração de um projeto de industrialização, abrindo um leque de novas possibilidades. Contudo, o café não foi deixado de lado e logo ao fim da década de 1930 os preços começaram a voltar ao normal.

    Quem são os maiores produtores no mundo e no nosso país atualmente?

    O Brasil possui a marca de maior produtor mundial de café por mais de 100 anos consecutivos. Além do clima que favorece o desenvolvimento da plantação, o forte investimento nas técnicas devido à dependência financeira oriunda das exportações, forçou o país a desenvolver maiores e melhores técnicas de plantio.

    Além do Brasil, países como Vietnã, Colômbia, Indonésia, Etiópia, Índia, Honduras, México, Uganda e Guatemala também fazem parte deste ranking mundial. Tamanha importância advém do fato de que além do consumo do próprio café, o processo de retirada da cafeína, é importante para a produção de bebidas de cola, cosméticos e produtos farmacêuticos que utilizam a mesma em sua composição.

    Só aqui no país, estima-se que cerca de 30.000 km² são utilizados somente para a plantação de café e alguns estados da região sudeste como Minas Gerais, São Paulo e Brasília se destacam na produção.

    Quais são as marcas e quais os tipos de grãos são mais produzidos no Brasil?

    Apesar de possuírem mais de 60 tipos de grãos de café existentes, apenas 2 se destacam mundialmente, e no Brasil são as principais cultivadas e comercializadas: as chamadas Robusta (ou Conilon) e Arábica.

    Entretanto, o café que normalmente consumimos no dia a dia trata-se de uma junção dos dois grãos através de uma harmonização chamada de blend. Inclusive, esta junção possui peculiaridades importantes a serem comentadas, pois quanto maior for a concentração de grãos do tipo Arábica na composição do blend, maior é a sua qualidade e preço, e em contrapartida, a popularidade dos grãos tipo Robusta é a preferida para a formação de café instantâneos devido a sua maleabilidade por contar com maior quantidade de cafeína e açúcares em sua formação.

    Inclusive, quando falamos em qualidade do café, existem algumas marcas que são preferidas pelos brasileiros atualmente, que são: Melitta, Pimpinela, 3 Corações, Qualitá, Pilão, Pelé, Marita, e muitas outras. E por falar no Café Marita, o mesmo promete ser muito mais que uma simples bebida, atuando como um suplemento alimentar e emagrecedor quando aliado a outros ativos.

    Para ter acesso as opções do café Marita, sites como a Rede Fácil facilitam a procura e compra desta marca especial no mercado.

    Quer saber mais sobre a produção dos grãos produzidos no Brasil? Confira abaixo mais informações que preparamos para você!

    Estados que produzem Robusta:

    • Bahia:Este estado possui diferenciais geográficos que incentivam a produção e a comercialização deste café, pois desta forma as colheitas acontecem antecipadamente, em fevereiro, o que abre vantagem de vendas frente aos outros estados em que a colheita é mais tardio.
    • Rondônia:O clima quente e úmido facilita o incentivo à produção deste tipo de grãos que é feita em áreas pequenas e familiares. O estado é considerado o segundo maior produtor deste tipo de café no país.
    • Espírito Santo:É o estado considerado o segundo maior produtor de Robusta do mundo. As características climáticas e geográficas da região favorecem o cultivo o que torna possível a produtividade em longa escala.
    • Estados que produzem Arábica:

      • Bahia:Responsável pela produção tanto de Robusta quanto de Arábica, tendo como foco a segunda. Região conhecida por produzir grãos com aroma mais doce e um café mais encorpado.
      • Cerrado Mineiro:Região em que estes tipos de grãos são cultivados por mais tempo no Brasil. As características deste café compõem um padrão adocicado e achocolatado.
      • Espírito Santo:As características da variedade Arábica desta região são cafés com sabor mais frutado e com alta acidez.
      • Matas de Minas Gerais:Região que proporciona, devido as características da região um café mais suave e de aroma neutro.
      • Mogiana:Apesar de as características de solo da região não serem as mais adequadas, a temperatura média de 20°C da região favorece seu cultivo. Isso resulta em um café suave, adocicado e frutado.
      • Paraná:Nesse estado, o foco deste tipo de produção foi ao auge até a década de 1970. A partir daí, as alterações de clima afetaram um pouco os resultados de cultivo, sendo necessários investimentos e estudos. As características atuais deste tipo de café são resultadas em um tipo de bebida um pouco mais dura e fraca.
      • Sul de Minas Gerais:Região de maior cultivo do mundo deste tipo de café. As características climáticas da região favorecem a conquista deste patamar alcançado com bebidas de aroma frutado e sabor ácido.

      Como e quanto é consumido desta bebida no território nacional?

      Quando falamos do consumo em próprio território nacional, a região Sudoeste destaca-se pelo consumo, em média de 48% de todo o país. Em seguida, vem a região Nordeste com 24%, a região Sul com 19% e por último, as regiões Norte e Centro Oeste apresentam cada uma com um consumo de 9%.

      Além disso, o café preto em pó é ainda o preferido e mais consumido pelos brasileiros, com 81% de preferência no país, seguido de 18% aos grãos que são torrados e expressos em padarias e cafeterias e por último, com apenas 1% de consumo em todo o território, os cafés encapsulados.

      A maioria dos brasileiros ainda preferem tomar o café em casa, e em seguida classificam-se aqueles que apreciam a bebida em algum tipo de comércio, sendo representados por aqueles que trabalham fora ou possuem uma vida extremamente corrida.

      Quando falamos de café e suas combinações, os brasileiros também possuem algumas particularidades: a maioria dos brasileiros preferem o consumo de café expresso, seguido do café pingado, café com leite, cappuccino e por último, o mocha que é uma mistura de cappuccino com calda de chocolate no fundo e outros ingredientes.

      Qual a diferença entre o café consumido aqui e o tipo exportação?

      O café consumido no Brasil, é composto pelo blend dos grãos tipos Arábica e Robusta, contudo, quando falamos em exportação, os cafés mais vendidos para o mundo a fora são em sua maioria os de tipo Arábica, produzidas de um jeito orgânico, sem fertilizantes e mais natural o possível.

      Isso porque em termos de qualidade e saúde esses grãos se destacam, além do fato deste tipo de café possuir alguns diferenciais além dos já citados no texto, como:

      • Ser naturalmente mais adocicado;
      • Possuir menos cafeína;
      • Provocar menos azias e gastrites.

      Como a torragem e moagem podem interferir no sabor do café?

      O processo de torragem e moagem dos grãos definem aspectos de sabor, textura e acidez diferenciados dependendo da forma em que forem preparados. Falando em torragem, existem basicamente 3 tipos de torra: média, clara e escura compondo em cada uma delas peculiaridades especiais, tais como:

      • Torra clara: responsável por gerar um café mais suave, com menos amargor e cor parecida com a canela;
      • Torra média: é a mais consumida no mercado em geral, equilibrando os aspectos de acidez, sabor e amargor. Muito utilizada nos processos de coagem tradicionais de cor marrom avermelhado. É o típico café tradicional;
      • Torra escura: Utilizado em cafés extraídos por máquinas, resulta em uma bebida forte, potente e de menor acidez.

      No processo posterior conhecido como moagem é refletido os aspectos de frescor do café, ou seja, quanto mais recente for a moagem dos grãos, mais natural e fresco será o paladar para o degustador. Inclusive, para os amantes do café existem moedores domésticos que podem ser utilizados para tornar a experiência ainda mais saborosa dentro de casa.

      Na máquina, moído, na cafeteira com coador, em pó solúvel, direto na garrafa com filtro, em cápsulas, qual é o brasileiro mais tomado?

      Em 2014, a Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC) realizou uma pesquisa com os brasileiros afim de descobrir qual o modo de preparo da bebida é a predileta pela população.

      Os detalhes descobertos foram os seguintes: a maioria dos 7.000 entrevistados, preferem fazer o café coado em filtro de papel, cerca de 46% ou 3.220 pessoas. Em seguida, 25% preferem o café coado em filtro de pano, o equivalente a 1.750 pessoas, as máquinas de café expresso ficaram com 19% da preferência, devido a acessibilidade, técnica e preço. Por fim, em último lugar foram classificados os cafés instantâneos ou solúveis com apenas 10% dos votos.

      A preferência pelo café coado está extremamente relacionada à forma de preparo convencional, de baixo custo e tradicional que é realizada em muitas casas diariamente. Certamente o café vai a muito além de uma simples bebida e é simbolizada como marca registrada na manhã e no dia a dia da população brasileira de geração em geração.

      Além do contexto histórico incrível desta iguaria presente até os dias atuais em nossas vidas, sua funcionalidade, praticidade no preparo além do hábito enraizado quer seja no Brasil ou mundo afora, beber uma boa xícara de café nunca será um ato ultrapassado.

      Esperamos que as curiosidades e informações apresentadas neste breve momento possam ter lhe ajudado a entender melhor o mundo cafeeiro!

      Referências:
      <a href=”https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/especiais/made-in-brasilia/2017/04/21/noticia-especial-madeinbrasilia,590051/a-producao-de-cafe-de-brasilia-e-uma-maiores-do-pais.shtml” rel=”nofollow”>https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/especiais/made-in-brasilia/2017/04/21/noticia-especial-madeinbrasilia,590051/a-producao-de-cafe-de-brasilia-e-uma-maiores-do-pais.shtml</a>
      <a href=”https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/especiais/made-in-brasilia/2017/04/21/noticia-especial-madeinbrasilia,590051/a-producao-de-cafe-de-brasilia-e-uma-maiores-do-pais.shtml” rel=”nofollow”>https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/especiais/made-in-brasilia/2017/04/21/noticia-especial-madeinbrasilia,590051/a-producao-de-cafe-de-brasilia-e-uma-maiores-do-pais.shtml</a>

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!
  • Kopi Luwak Coffee
    Curiosidades

    Conheça os 10 Cafés Mais Caros do Mundo

    Veja quais são eles, como são feito, qual animal está envolvido no seu processo de produção, quanto custa uma xícara, um saco de 1kg e porque eles são tão especiais e raros

    Verdadeiramente, é muito difícil resistir a um bom café!

    Essa bebida agrada o paladar da maioria das pessoas em todo o mundo. Ela possui um sabor único e um aroma espetacular.

    Entretanto, há diversificados tipos de café, e cada um com as suas particularidades, seja como o aroma e o sabor bem característicos.

    E como o ditado diz ”tudo o que é bom custa bem caro”, não é diferente com o café. Dependendo da área de cultivo e plantio, o seu valor pode ser muito alto.

    Quais são os mais caros do mundo? Por quê são tão caros?

    Investir é algo particular e muito significativo. Por isso, as pessoas decidem investir em patrimônios como carros, casas dentre outros tipos de bens materiais.

    Há também aquelas pessoas que gostam de investir em experiências como, por exemplo, em viagens, gastronomias ou qualquer outro lazer.

    Mas, não são todos os tipos de investimentos que são muito comuns o quanto parecem. Algumas pessoas, em particular gostam de investir em cafés.

    Isso mesmo, em café! A paixão por essa bebida é tamanha que, alguns cidadãos viajam pelo mundo em busca do melhor, mais saboroso e mais caro café.

    Mas então, porque alguns tipos de cafés são tão caros?

    O que os tornam tão valiosos é únicos, são os métodos utilizados para cultivar, o processo de sua produção e ainda a região a qual são produzidos.

    Entretanto, se você é um ilustre e bom apreciador da bebida, abaixo selecionamos os melhores e mais valiosos tipos desta bebida.

    Lista dos 10 mais caros:

    Agora é a hora de você conhecer quais sãos cafés mais caros de todo o mundo. Cada um deles possuem valores distintos então respire fundo e te prepare para não se assustar com alguns.

    10. Hacienda La Esmeralda:

    Esse raríssimo e excelente é cultivado e processado no Panamá. Seu sabor é único e realmente qualquer pessoa se apaixona após o seu primeiro gole.

    É nas sombras das goiabeiras que o café Hacienda é plantado e também cultivado. O valor dele é de aproximadamente R$80,00. Ele é:

    • Tipo GEISHA – Tem seus grãos torrados e sua moagem é para filtro ou coador;
    • A sua secagem é natural.

    https://sitedocafe.com.br/loja/cafes-exoticos/cafe-geisha/cafe-geisha-torrado-e-moido/

    9. Blue Mountain:

    O kilograma desse café fabricado na Jamaica, chega a custar em torno de R$110,00. A sua mais marcante característica é o seu sabor mais suave e principalmente sem deixar o amargor na boca.

    Embora ele seja um dos mais buscados, 80% da sua produção é levada para a região do Japão. São características dele:

    • Notas cítricas de frutas;
    • Média Acidez;
    • Corpo mais leve;
    • Amargor baixo.

    https://sitedocafe.com.br/loja/cafes-exoticos/cafe-blue-mountain/cafe-blue-mountain-torrado-e-moido/

    8. Yauco Selecto AA Café:

    Este tipo de café é especial, raro e proveniente de Porto Rico. Ele é ditado como um dos melhores do mundo e que oferece uma experiência mais encorpada além de possuir um sabor bem arrebatador.

    Este, no entanto, vale o seu preço alto e ainda está incluso na lista entre os 10 melhores cafés e mais caros do mundo pela revista Forbes.

    Ele tem o aroma achocolatado, doce e amanteigado.

    Seus recursos são:

    • Assado no fogo;
    • Feito à mão;
    • O artesão é devidamente treinado;
    • Possui mais de 100 anos em sua tradição;
    • Torrado e fresco em todos os dias;
    • A sua qualidade é Ultra Premium;

    O preço desta belezinha gira em torno de R$119,00.

    https://goldstarcoffee.com/products/yauco

    7. Los Planes:

    Além de estar entre os melhores do mundo, esse Los Planes é também um dos mais caros. Seu plantio e cultivo é realizado em Citalá, em El Salvador. No ano de 2006, ele garantiu o 2º lugar em Cup of Excellence. O preço médio é de R$190,00 o quilo.

    • Região – Em Comayagua;
    • Origem – Em Honduras;
    • Variedade – É Caturra;
    • Processo – É lavado;
    • Altitude – 1450 MASL;
    • Assado em ponto médio.

    Suas notas de degustação são:

    • Corpo equilibrado;
    • Acidez bem plena e com notas cítricas suaves e florais;
    • Tons de chocolate ao leite e caramelo com o acabamento liso.

    https://www.brillacoffee.com/products/honduras-los-planes-dark-roast

    6. Bourbon 300 – Fazenda Irmãs Pereira:

    Esse café é originário do Brasil, produzido por Fazenda Santa Inês, situada no estado de Minas Gerais. Ele além de dispor de um sabor fantástico, é cultivado artesanalmente à moda antiga, e isso influencia diretamente no sabor e no aroma.

    Sua produção é pensada principalmente para manter a preservação do meio ambiente, como a mata nativa, todas as suas nascentes e córregos.

    O preço do kilo pode chegar até R$210,00.

    https://loja.carmocoffees.com.br/produto/bourbon-300-fazenda-irmas-pereira/

    5. Jamaican Blue Mountain Coffee, 100% puro e certificado:

    Para os amantes de Café Exótico, o Blue Mountain possui um sabor equilibrado, pleno, com notas de frutas marcantes, aroma intenso de nozes, chocolate e acidez.

    Ele conta também com um sabor extremamente limpo, com doçura bem perceptível. Por muitas pessoas, ele é considerado um dos melhores cafés do mundo.

    O quilo desse café chega a custar R$433,00. Mas para os amantes de café, o sabor e prazer de toma-lo vale cada centavo investido.

    https://www.amazon.com/Jamaican-Mountain-Coffee-Roasted-16-ounce/dp/B012IQYDZ6?th=1

    4. Havaiana Kona Café:

    Esse está entre os cafés considerados mais deliciosos em todo o mundo. Ele é cultivado em Mauna Loa, no Havaí a partir da planta do tipo arábica.

    Além do seu sabor aveludado, nota-se um singular sabor de frutas.

    Cada grão é cultivado dentro de um cinturão do Café de Kona, ao lado oeste na Ilha Grande no Havaí.

    Depois, é processado nas instalações de Kealakekua, respeitando os altos padrões gourmet. Seu preço é de aproximadamente R$452,78.

    https://www.greenwellfarms.com/full-city-roast/

    3. El Injerto:

    Este é delicioso e cultivado na região da Guatemala. Ele já ganhou 9 premiações no evento Cup of Excellence.

    O El Injerto custa em torno de R$596,00 e é também um dos mais procurados.

    Realmente é um espresso que se abre os olhos, sendo dividido em duas variantes:

    O Bourbon possui notas adocicadas e o Catuai Tinto possui notas frutais.

    As duas variedades recebem o cultivo acima de 1.500 msnm (os grãos são literalmente duros), e são colhidos do mês de dezembro até o mês de janeiro e, são despolpados todos os dias.

    https://fincaelinjerto.com/collections/all/products/guatemala-el-injerto-geisha

    2. Café Civeta (Kopi Luwak):

    O Civeta é atualmente o mais caro de todo o mundo. Sua produção é realizada na região da Indonésia de maneira muito peculiar. Tal forma de produção influencia indiscutivelmente no seu sabor.

    Esse café é produzido pelos grãos consumidos pelo animal Civeta. Isto é, dos grãos que ele elimina em suas fezes.

    É exatamente isso que você leu! Esse animal é nativo da África e da Ásia. As civetas chupam a frutinha do café e engolem a semente inteira. Ela não é digerida e é expelida junto com as vezes, intactas.

    Ao passar por esse processo, as sementes conseguem absorver as enzimas e alguns ácidos que promovem uma natural fermentação.

    Suas notas de degustação são:

    • Frutas vermelhas;
    • Encorpado;
    • Zero acidez;
    • Baixo amargor.

    O quilo dessa iguaria pode chegar a R$4.690,00.

    https://www.casadocafe.pt/cafes/cafes/cafes-em-grao-/483-cafe-em-grao-kopi-luwak-250-grs.html

    1. St. Helena Coffee Company’s Island:

    É fabricado na Ilha de Santa Helena, a cerca de 1.200 km da costa da África. A sua popularidade foi um tanto curiosa.

    Foi Napoleão Bonaparte, que levou as sementes desse café para Ilha. No entanto, ele gostava tanto que o seu último desejo era apreciar um gole dessa estimável bebida.

    Os grãos desse café são um verdadeiro e requintado must-have. O seu quilo pode custar cerca de R$5.130,00. Isso, de fato o torna o mais caro no momento.

    https://www.theeastindiacompany.com/products/st-helena-tipped-bourbon-coffee-beans-250g/

    Se você é um grande e bom apreciador de café, entende que o valor compensa pela sensação e prazer dessa bebida.

    No entanto, esta é uma lista muito valiosa e por consequência surge a dúvida: Qual comprar?

    Bom! Cada tipo possui sabores únicos e bem peculiares. Cada um deles oferecem uma degustação rica, prazerosa e que vale a pena experimentar.

    Tenho certeza que qualquer uma opção será capaz de te oferecer sensações únicas e muito especiais!

    Agora é com você, aprecie os melhores cafés do mundo!

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!
  • Café com Leite Gourmet de Minas Gerais
    Receitas e Dicas

    Aprenda Como Fazer Café com Leite: As 4 Melhores Receitas

    Bebidas feitas na máquina, a mão e na batedeira! Receitas com café tradicional, gourmet, indiano, com banana, amêndoas, nata, espuma, paçoca e farinha. Ideais para se tomar e comer com torta e biscoito!

    Quem nunca ouviu falar do famoso Café com Leite? Se você chegou até aqui, certamente é fã dessa deliciosa combinação. Eu, particularmente, amo e sou muito fã deste casal.

    Mas e se nós conseguíssemos turbinar essa dupla? Nesse artigo, você vai encontrar receitas fáceis e práticas que vão te ajudar nessa missão Vem comigo!

    Com doce de leite

    Essa é a receita que você não valoriza muito quando lê, mas quando faz pensa: “Porque eu não fiz isso antes?”. Só faz!

    Ingredientes:

    • Um copo com 200ml de leite em temperatura quente;
    • 50ml com seu café pronto favorito, ou 30g de café do tipo solúvel;
    • 20g de doce de leite.

    Preparo:

    Adicione o leite em uma xícara ou copo. Em seguida, adicione o café e misture bem. Após isso, adicione o doce de leite. Caso não se dissolva por completo, leve ao micro-ondas por 20 segundos e misture novamente.

    Você pode adicionar açúcar a gosto, mas o doce de leite já deixa a mistura bem adoçada.

    Leite Condensado

    É claro que não podia faltar o clássico leite condensado nessa combinação, não é? Essa bebida acompanhada de um bolo, não precisa de mais nada!

    Ingredientes:

    • 200ml de leite quente;
    • 50ml de café pronto ou 30g de café do tipo solúvel;
    • 40g de leite condensado.

    Preparo:

    Adicione o leite em uma xícara ou copo. Em seguida, adicione o café e misture bem. Após isso, adicione o leite condensado. Você pode adicionar açúcar a gosto, mas o leite condensado já deixa a mistura bem adoçada.

    Com creme de leite

    Opção low carb? Temos! Troque o açúcar por xilitol ou adoçante e se joga.

    Ingredientes:

    • 200ml de leite quente;
    • 50ml de café pronto ou 30g de café do tipo solúvel;
    • 50g de creme de leite;
    • Açúcar a gosto.

    Preparo:

    Adicione o leite em uma xícara ou copo. Em seguida, adicione o café e misture bem. Após isso, adicione o creme de leite e o açúcar.

    Cremoso com leite ninho

    Ah, o gostinho da infância! Não lembra mais? Faça essa receita que as memórias irão surgir enquanto você se esbalda.

    Ingredientes:

    • 200ml de leite quente;
    • 50ml de café pronto ou 30g de café do tipo solúvel;
    • 50g de leite em pó ninho;
    • Açúcar a gosto.

    Preparo:

    Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata por 02 minutos. Despeje a mistura em uma xícara e se delicie. Caso prefira, leve a mistura ao micro-ondas por 20 segundos para aquecer mais.

    Você também pode transformar essa mistura num delicioso capuccino. Para isso, adicione 30g de chocolate em pó e 5g de canela em pó.

    Como fazer um pudim com esses ingredientes

    Alguém disse pudim? Parem as máquinas. Pudim é tudo de bom nessa vida! Agora, imagina com gostinho de café com leite. Faça e salve o almoço de domingo da família.

    Ingredientes para a calda:

    • 200g de açúcar;
    • 100ml de água.

    Ingredientes para o pudim:

    • 300ml de leite;
    • 45g de café do tipo solúvel;
    • 395 de leite condensado;
    • 400g de creme de leite;
    • 01 gelatina incolor.

    Preparo:

    Adicione o açúcar e água diretamente na fôrma para pudim e leve ao fogo morno. Após dourar, desligue e reserve.

    Coloque no liquidificador todos os ingredientes, exceto a gelatina. Prepare a gelatina conforme instruções do fabricante e adicione na mistura. Bata por 2 minutos.

    Depois de batido, despeje a mistura na fôrma reservada com o caramelo. Leve à geladeira por 08 horas. Para desenformar, passe uma faca nas laterais e no meio.

    Como fazer um sorvete?

    Já prepara o print! Estamos acostumados com café sempre no formato quente. Mas já pensou esse gosto gelado? É sério, agora você tem que acreditar em mim, esse sorvete fica surreal de bom. Você não vai se arrepender.

    Ingredientes:

    • 400g de creme de leite;
    • 395g de leite condensado;
    • 45g de café do tipo solúvel.

    Preparo:

    Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata por 10 minutos. Leve ao congelador por 02 horas. Retire e bata novamente por mais 10 minutos. Volte ao congelador e deixe por mais 04 horas ou até adquirir consistência de sorvete.

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!
  • Café Illy Cremoso
    Receitas e Dicas

    Como fazer um Café Cremoso?

    Veja como é fácil preparar com mixer, batido na mão, na máquina ou na batedeira! Com café em pó comum, simples e caseiro, com chocolate amargo, caramelo, licor de cacau ou espuma tipo milkshake

    Em se tratando de café, o brasileiro é com certeza um povo de sorte. Temos à nossa disposição centenas de marcas de alta qualidade, com vários tipos de processamento.

    Temos ainda mil e uma maneiras de preparar uma sobremesa com este produto. Mousse, sorvete, brigadeiro, tortas, enfim, é um ingrediente muito versátil. Basta dar asas à imaginação e teremos uma sobremesa maravilhosa com aquele perfume característico.

    Vamos ver aqui maneiras de fazer a mais simples e maravilhosa das receitas: Café cremoso!

    Café Cremoso no Liquidificador:

    Ingredientes:

    • Uma xícara com água bem quente (chá);

      2 xícaras com açúcar (chá);

      50 gramas de seu café solúvel favorito.

    Modo de preparo:

    Adicione a água quente no liquidificador, depois ponha o café e o açúcar.

    Deixe bater por cerca de 10 minutos até se tornar um creme espumante.

    Coloque num recipiente próprio para congelamento. Pode-se armazenar por até 3 meses.

    Ao servir, complemente com uma colher cheia de leite quente!

    Na Batedeira:

    É a mesma receita acima, porém aqui acrescentaremos uma pitada de canela, ok?

    Ingredientes:

    • Uma xícara com água bem quente (chá);

      Duas xícaras com açúcar (chá);

      50 gramas do seu café favorito (solúvel);

      uma leve pitada com canela.

    Modo de preparo:

    • Dentro da batedeira, adicione o café, o açúcar e a canela;

      Misture bem e em seguida, adicione a água quente;

      Deixe batendo por aproximadamente 10 minutos, até obter um creme bem volumoso;

      Basta adicionar uma colher de leite quente no momento de degustar.

    Pode ser igualmente conservado no freezer por 3 meses que não endurece.

    Com Leite Ninho:

    Ingredientes:

    • 50 gramas do seu café em pó favorito;

      360 gramas de açúcar;

      200 mililitros de água em temperatura morna;

      40 gramas de leite (em pó);

      24 gramas de pó de chocolate (não achocolatado);

      Opcional: 3 gramas de pó de canela.

    Modo de preparo:

    Coloque o pó do café em uma batedeira junto com o açúcar e a água morna.

    Bata tudo em média velocidade, por aproximadamente dez minutos.

    Aos poucos, ainda batendo, vá adicionando os pós de leite, canela e chocolate.

    Continue misturando tudo por três minutos.

    Armazene em um pote que possa ir ao freezer para guardar por até três meses.

    Para servir adicione duas colheres de sopa do produto em 300ml de leite bem quente.

    Com Creme de Leite:

    Ingredientes:

    • 450 mililitros de leite em temperatura morna;

      Duas caixinhas com seu creme de leite preferido;

      Quatro colheres com pó de chocolate (sopa);

      800 mililitros do seu café já pronto.

    Modo de preparo:

    Junte o leite com o creme de leite e bata no liquidificador por aproximadamente um minuto.

    Depois adicione o chocolate e deixe bater por mais ou menos 1 minuto.

    Junte ½ xícara do seu café já pronto a ¼ xícara dessa nova mistura e sirva!

    Café Cremoso Low Carb:

    Ingredientes:

    • 100 mililitros de água em temperatura morna;

      Duas xícaras com xilitol;

      50 gramas do seu café solúvel preferido.

    Caso prefira a versão com Capuccino, acrescente:

    Duas colheres com pó de cacau 100%

    Uma colher de pó de canela

    Modo de preparo:

    Bata por 15 minutos até obter um tipo de chantilly cremoso. Conserve no liquidificador para não perder a consistência. Sirva com uma xícara do leite de sua preferência, inclusive os vegetais, como amêndoa ou castanha.

    Dicas para um café diferenciado:

    Saborear essas receitinhas com um bolo de nata ou de baunilha é tão gostoso que chega a ser um pecado não experimentar.

    Regar com um pouco do licor da sua preferência dá um toque diferenciado nas noites com amigos.

    Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!