como-tecnologia-melhorou-a-produção-do-cafe
Curiosidades

Produção de Café com Qualidade: Como a Pesquisa Agregada a Tecnologia são Fundamentais para Manter a Liderança Mundial do Grão?

O Brasil tem muito o que se orgulhar quando o assunto é café. Nós somos o maior produtor do mundo deste grão, o que quer dizer que somos bons entendedores deste assunto, sem dúvida nenhuma.

O que não falta por aqui são opções, desde a forma que o grão é moído, até a qualidade do café e como ele foi cultivado. E é justamente sobre a produção que vamos falar aqui, mais precisamente os métodos que o país pode adotar para melhorar o cultivo em questão quantidade, mas também de diminuir os efeitos colaterais na natureza.

Qual é a importância do investimento em pesquisa na produção de café?

Atualmente, o Brasil é considerado um dos países com a melhor cafeicultura competitiva e sustentável do mundo. Mas para manter esses status, segundo o Conselho Nacional do Café (CNC), o país deve investir mais em pesquisas. Mas por quê?

Porque é a pesquisa e a tecnologia que tem o poder de melhorar a produtividade do café em terras brasileiras, além de abrir portas para o financiamento, serviços de extensão e também a criação de políticas facilitadoras para os agricultores, que são a base desse mercado.

São esses pilares que vão garantir um setor mais sustentável do café, que é basicamente o futuro da cafeicultura.

É também esse investimento em pesquisas que vai levar os produtores de café a uma produção mais lucrativa e produtiva.

Mas para que isso aconteça, precisa acontecer uma colaboração por parte de empresas, tanto públicas quanto privadas, que devem fornecer as informações dessas pesquisas, com o intuito de facilitar ao produtor seus insumos, linhas de crédito, marketing direto e a contração de seguros rurais.

Ou seja, eles teriam total apoio dessas entidades, melhorando a produção do café, de forma geral. E o resultado é que todo mundo sai ganhando, no final das contas.

Por meio desse investimento e obviamente pela colaboração entre comerciantes, produtores, varejistas e torrefadores, será possível criar novas estratégias de negócio, assim como relacionamentos de longo prazo por meio de contratos fixos, o que com certeza irá incentivar o agricultor.

Para se ter ideia, com essas pesquisas já foi possível ter um controle maior de pragas, algo que o café brasileiro é muito suscetível.

Esses dados também já mostraram mudanças no melhoramento genético dos grãos, assim como na fertilidade e nutrição do solo de plantio, biotecnologia e tecnologias para usar na pós colheita.

Parece pouco, mas esses avanços já melhoraram a cadeia da cafeicultura em vários sentidos, desde o campo até a chegada dos grãos nas indústrias, sem esquecer, é claro, o desenvolvimento de uma produção mais sustentável.

Essas pesquisas, que já tem um investimento bem alto no Brasil, ainda garante as gerações futuras de agricultores. Sem contar que esse avanço também abre portas para uma igualdade social, melhorando e protegendo o trabalho do empresário que atua diretamente no campo, ou seja, quem bota a mão na massa.

O que o Brasil deve fazer para manter sua liderança na produção mundial de café?

A palavra-chave para manter a liderança na produção de café, no Brasil, é o investimento. Em pesquisa, tecnologia, em tudo que dê para controlar, do começo ao fim o cultivo.

Por exemplo, a planta do café se renova a cada estação e isso acaba exigindo cuidados constantes pelo produtor.

Um dos fatores mais preocupantes é que no fim de cada ciclo, a planta se encontra estressada e vulnerável a contrair tipos diferentes de doenças. Neste caso, o agricultor deve voltar sua atenção em proteger as folhas dessas mazelas, o que inclui investir numa boa nutrição.

Sendo assim, é preciso adquirir soluções que não só protejam, mas, também, melhorem a qualidade das plantas, assim como o aumento da vida desses grãos.

Para isso estão disponíveis no mercado opções super tecnológicas que focam, principalmente, na floração dos cafezais, parte primordial e que vai afetar diretamente a produtividade da safra.

Outro ponto que não pode ser esquecido é que além de nutrir a safra, é preciso que o produtor se atente em prevenir que essas plantas adoeçam e também ativem as rotas metabólicas da planta, que vai garantir mais eficiência fisiológica e vegetativa.

Basicamente, para manter nossa excelência, todos os agricultores precisam investir em instrumentos que mantenham essa qualidade, mas que também nos leve a patamares ainda maiores.

Como os produtores devem enfrentar as adversidades climáticas para manter a alta produtividade?

Além de pensar no aumento da produtividade e cuidar melhor da planta em seu estágio inicial, é preciso pensar igualmente na pós-colheita, para evitar os problemas advindos do clima brasileiro.

Infelizmente, o café é muito propenso a pragas por conta do clima tropical do nosso país, além das chuvas e geadas. Apesar de ser um baita problema, pois essas mudanças climáticas podem destruir uma safra inteira, por conta da tecnologia, atualmente é possível “lutar contra” a mãe natureza.

O agricultor acha no mercado soluções que aceleram o desenvolvimento e o metabolismo da planta. Por ser um bioestimulante, o produto tem ação fisiológica, deixando a planta mais resistente ao estresse e prolongando sua eficácia.

Por conta disso, a lavoura se torna mais resistente às mudanças climáticas, tendo um crescimento vegetativo muito melhor.

No final das contas, o empresário consegue uma planta mais forte e menos vulnerável a diversas doenças, que é basicamente o pilar para se ter uma colheita mais produtiva, com um rendimento maior, que interfere diretamente no lucro desse pequeno produtor e da indústria cafeeira, consequentemente.

Conclusão

Mesmo que o Brasil já seja expert no cultivo de café, não podemos ignorar as novas tecnologias e como elas são importantes para o cultivo atual, não só na questão de lucro, mas também ambiental e social.

Esse avanço permite que todos os envolvidos saiam ganhando, que é o jeito certo, para os negócios, sociedade e natureza.

Além do mais, não podemos nos esquecer que dependemos da natureza para termos nossos deliciosos cafés, então, se não cuidarmos do meio ambiente, logo não teremos mais lugar para cultivar esse fruto.

Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!