Curiosidades

Gravidez e Café: Qual a Quantidade Permitida? Tem Risco para o Bebê?

Pode tomar café durante a gestação e amamentação?

Sabemos que, muitas pessoas não conseguem viver sem sequer uma xícara do café para iniciar o dia.

E se você se enquadra nessa situação, em caso de gravidez, a única opção sua é restringir a quantidade diária e não abandonar o hábito, uma vez que não pode ou não consegue.

Antes que qualquer coisa, é imprescindível se orientar com o seu médico para verificar a melhor coisa a se fazer.

Indica-se, por exemplo, substituir o tradicional pelo café descafeinado cujo a cafeína é em menor porção. No entanto, é importante monitorar sempre para não extrapolar a quantidade diária recomendada de 200mg ou aquela dita pelo seu médico.

O café durante o período da gravidez precisa ser restrito a quantias mais moderadas, ou caso contrário ele tende a ser prejudicial para a saúde do bebê e da gestante.

Nesse artigo, falaremos com mais detalhes sobre o quanto um simples cafezinho pode se tornar perigoso para quem está grávida bem como possíveis complicações.

Como o café pode atrapalhar a gravidez?

Embora as vezes pareça bem óbvio, essa é de verdade umas das dúvidas mais comuns entre várias gestantes.

Mas então, como essa bebida pode atrapalhar uma gravidez?

Mesmo que exista inúmeros estudos e pesquisas com esse tema e que não obtiveram dados efetivamente conclusivos, sabe-se que o risco está diretamente relacionado com a quantidade de cafeína ingerida.

Na realidade, o café em sí não é o que de fato faz mal, e sim o excesso da cafeína no organismo.

Em geral, há consensos científicos os quais apontam que, as gestantes podem sim tomar a sua bebida, desde que a quantidade não seja exagerada.

Se para qualquer pessoa “normal” a porção precisa ser controlada para que não ocorre possível problemas na saúde, no período de gravidez então, o monitoramento deve ser ainda maior.

Isso porque, durante o período de gravidez a cafeína se mantém por mais tempo no sangue e por consequência os efeitos delas tendem a ser ainda maiores.

Além disso, vale lembrar que ainda a substância vai para o bebê por meio da placenta.

No caso do feto, o risco de efeitos negativos, tendem ser ainda maiores uma vez que ele não está desenvolvido em sua totalidade e ainda possui mais dificuldades de processar e filtrar a substância.

Desse modo, sob quantias bem moderadas e discutida com seu médico, o café pode ser ingerido pela gestante.

Como é a interação entre o organismo e a cafeína?

A cafeína é conhecida com um verdadeiro estimulante natural e energético, ou seja, ela eleva a pressão arterial, adrenalina e também a frequência cardíaca.

Para as pessoas com boa saúde e que não estejam grávidas, não faz mal, e eleva o foco, a disposição bem como outras vantagens.

Mas é claro que, mesmo que uma pessoa esteja em perfeitas condições de saúde, o consumo em excesso não é aconselhável.

Em contrapartida, no organismo das grávidas há a elevação da pressão do sangue e isso, infelizmente é um agravante pois há o risco de ocorrer um aborto, um parto precoce ou o bebe pode nascer com o peso baixo.

Além disso, essas substâncias, possuem propriedades que são diuréticas e assim tendem a provocar desidratação. Isso é de fato um risco para a gestante, pois ao longo da gravidez há o aumento da micção devido a pressão que a bexiga sofre.

Na gestante o que altera com a cafeína?

São várias as ocorrências da cafeína no organismo de uma gestante, sendo elas:

  • Quando tem um volume grande da cafeína no organismo ela pode aumentar muito a frequência cardíaca e ainda estimular ainda mais o metabolismo.
  • Quando a substância alcança a corrente sanguínea, ela pode provocar uma agitação e/ou alterar o sono, e por consequência, dificultando a dormir.
  • Em excesso, pode causar mais vasoconstrição, isto é, a redução do diâmetro nos vasos sanguíneos. Isso é um problema para as gestantes, pois prejudica o desempenho da placenta e ainda diminuir o oxigênio que vai para o feto.
  • Também pode afetar a absorção do ferro no organismo, e esse mineral é importantíssimo para evitar possíveis anemias.
  • Por fim, essa substância eleva a produção do suco gástrico, e por isso, pode provocar refluxo gastresofágico, ansiedade, azia e ainda piorar outros transtornos digestivos já existentes e bem comuns durante a gravidez.

Quais efeitos ela causa no bebê e na sua formação?

É notório que os efeitos do excesso de café, são mais prejudiciais para o bebê. Isso dado que a cafeína entra na corrente sanguínea da gestante sendo assim transferida diretamente para o bebê, passando pelas paredes placentárias e alcançando o líquido amniótico.

O bebê se mantém sob desenvolvimento e por isso, seu organismo especificamente o seu fígado ainda não é capaz de metabolizar algumas substâncias, e com isso podem se acumular nos seus tecidos fetais.

A cafeína que contem no café, pode elevar a frequência cardíaca do bebê e provocar inclusive arritmias. Isso, impacta de maneira considerável em todo o desenvolvimento dele.

Além disso, ela por ser altamente viciante e estimulante, sob grandes quantias, pode levar o feto obter uma síndrome da abstinência e também desencadear muitas crises.

Existe uma quantidade segura para gestante tomar?

A OMS (Org. Mundial de Saúde) indica o consumo de menos que 300mg no dia de café para as gestantes.

Por outro lado, como já mencionado, existe um consenso geral que 200mg é o máximo ideal, ou seja, cerca de duas xícaras de café por dia.

Ressalta-se, portanto, que a quantidade depende do tipo do café ingerido bem como a maneira de preparar.

São exemplos:

  • Café tradicional coado em 200 ml há aproximadamente de 80 até 100mg da cafeína;
  • Café tipo expresso em cada 30 ml há de 40 até 75mg da cafeína;
  • Café tipo solúvel em cada colherzinha de chá, há cerca de 57 até 120mg;
  • Café tipo descafeinado em cada 150 ml há aproximadamente de 2 até 4mg da cafeína;

Esses são alguns exemplos e, além deles existem outros tipos de bebidas bem como também alguns alimentos que contém tais substâncias. Todos eles devem ser contados para se ter a média ao final do dia.

Há o controle principal do consumo do café, porém se no dia a gestante ingerir chocolate, chá ou até mesmo refrigerantes, a restrição da quantidade do café deve ser ainda maior.

Outras comidas e bebidas com cafeína podem ser ingeridos sem problema?

O café, entretanto, não é o vilão e muito menos isolado. Qualquer outro tipo de bebida que contem a cafeína, deve ser ingerida com cautela por quem está grávida.

Desse modo, se você tem o habito de ingerir diariamente os alimentos discriminados abaixo, é imprescindível incluí-los no cálculo.

É preciso frisar também que, existentes medicamentos que também possui essa substância na formulação.

Confira:

Quais são os alimentos e bebidas que possuem cafeína?

  • IceTea: em cada 350ml contém de 30 até 60mg da cafeína;
  • Chá verde e preto: em cada 200ml contém de 15 até 60mg;
  • Chá tipo mate: cada 200ml contém de 20 até 30mg;
  • Bebida energética: cada 250ml contém cerca de 36 até 80mg;
  • Refrigerante de cola: em cada 350ml contém cerca de 30 até 35mg;
  • Refrigerante de guaraná: cada 350ml tem de 2 até 4mg;
  • Chocolate tipo ao leite: cada 100g há de 3 até 30mg;
  • Chocolate tipo meio amargo: cada 40g tem de 8 até 20mg;
  • Chocolate tipo amargo: cada 100g tem de 15 até 70mg;
  • Achocolatado em pó, no geral: em cada 250ml tem de 4 até 5mg;
  • Achocolatados meio amargo: em cada 250ml contém de 17 até 23mg;
  • Cacau tipo em pó: em cada 100g tem de 3 até 50mg.

Medicamentos comuns que possuem cafeína:

  • Dorflex em cada comprimido contém 50mg;
  • Neosaldina em cada comprimido contém 30mg.

Como faço para parar ou diminuir a quantidade de café que tomo?

Nesse momento, você já tem todos os detalhes bem como já sabe quais alimentos e bebidas contém a cafeína. Desse modo, monitorar e calcular a ingestão diária fica mais fácil.

Observe em toda refeição ou lanche que fizer para não exagerar na dose. É preciso ficar atento quanto a existência de sintomas da abstinência que inclui:

  • A fadiga;
  • Dores de cabeça;
  • Tontura;
  • Fraqueza, especialmente se você tiver o hábito de ingerir doses altas da cafeína.

Mas se ainda há dúvidas, o ideal é reduzir de maneira gradativa para não apresentar tais sintomas.

Além disto, siga as dicas abaixo que podem lhe ajudar no momento de ajuste das doses:

  • Reduza aos poucos a quantia de xícaras consumidas do café durante todo o dia;
  • Você pode substituir a versão tradicional por descafeinados;
  • Mude o seu chá verde/preto pelo de camomila, de hortelã ou de erva-cidreira;
  • Tente evitar refrigerantes, não só pelos efeitos da cafeína, e sim por todos os outros ingredientes em excesso como o açúcar, por exemplo, que pode ser prejudicial e que pode elevar o ácido no sangue e prejudicar a absorção do cálcio no organismo;
  • Reduza a ingestão de chocolate e de achocolatados diários;
  • Diminua a quantia da cafeína existentes nos chás reduzindo o tempo que as folhas ou os sachês ficam em contato com a água;
  • Não ingerir bebidas que são energéticas.

É normal sair sangramento borra de café na gravidez?

O corrimento vaginal marrom (borra de café) é o muco cervical que é tingido com sangue velho e pode ocorrer algumas vezes durante o início da gravidez.

Como o sangue envelhece no corpo, ele se torna marrom em vez de um vermelho vivo. A razão disto é que o sangue oxida quando exposto ao ar.

Durante as diferentes fases da menstruação, a mulher pode notar consistências e cores diferentes. A quantidade e a frequência do corrimento pode variar de mulher para mulher.

Conclusão

Cuidar da sua saúde e do seu bebê é muito importante. E se você não consegue viver sem a cafeína, ao menos faça um esforço durante esses 9 meses pelo bem-estar e pensando principalmente pela qualidade de vida e pela felicidade de ambos.

Café é bom, desde que o seu consumo, especialmente na gravidez, seja responsável!

Referências:

https://americanpregnancy.org/healthy-pregnancy/pregnancy-health-wellness/caffeine-intake-during-pregnancy-946/

https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2020/aug/24/no-safe-level-coffee-drinking-pregnant-women-study-says

https://www.nih.gov/news-events/news-releases/moderate-daily-caffeine-intake-during-pregnancy-may-lead-smaller-birth-size

Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!