marcas-juan-valdez-preço-características-melhor-como-fazer-tipos-de-matiz
Curiosidades

Café Colombiano: O que É, Características, Diferenças e Marcas

História e Características do Café Colombiano

História

O café chegou na Colômbia através de missionários jesuítas provenientes da Europa por volta dos anos 1700. Mas somente em 1835 essa produção voltou-se para a exportação, abastecendo consumidores europeus. Nessa época, o principal porto era o de Cúcuta e daí partia o café para terras europeias.

A produção foi crescendo e em 1960, o café passou a ser o primordial produto exportado da Colômbia.

Através da família cuidando da agricultura, estabelecida em propriedades pequenas e localizadas em altas altitudes, o seu cultivo foi então expandindo por todo território colombiano.

A cultura cafeeira acaba sendo favorecida por toda a conjuntura geográfica deste país: presença de solo vulcânico e climas ideais em altitudes elevadas permitem o cultivo de grãos do tipo arábica, os quais por sua vez, exigem colheita manual.

Sabe-se que a Colômbia atualmente exporta cerca de 11 milhões de sacas desse produto por ano, o que proporciona um giro de mais de US$ 2,5 bi.

O país chega a produzir 12 % da bebida consumida no planeta, ficando em terceiro lugar perdendo somente do Brasil e Vietnã. E, embora o Brasil seja líder absoluto na produção cafeeira, o fato é que há algumas décadas estamos sofrendo com a concorrência colombiana. Na verdade, todas as regiões mundiais disputam essa posição de liderança, cada qual com o seu produto de qualidades peculiares.

Características

Sendo a Colômbia um país com regiões internas de climas tão diversificados entre si, o grão arábica acaba por produzir um café de qualidades igualmente diferenciadas entre eles.

Dessa forma, cada região produtora tem o seu sabor peculiar de café. Grãos cultivados no norte, por exemplo, geram um café mais intenso, encorpado, com notas de chocolate e nozes.

Já os grãos produzidos na região central do país proporcionam um café mais aromático, num mix de frutas e ervas. O do Sul, por sua vez, são mais ácidos com um toque marcadamente cítrico.

Porém, independentemente da posição geográfica da sua produção, o café colombiano preserva suas características básicas em território nacional. São elas: suavidade, equilíbrio, corpo macio, doçura acentuada, nível acima do médio de acidez.

Variedades de grãos do Café Colombiano

Na produção desse café, são utilizados os grãos arábica e robusta. Enquanto grãos arábica, típicos das altas altitudes, produzem um café mais aromático com menos cafeína e amargor, o robusta, ao contrário, gera um café bastante encorpado e menos doce, com aroma menos pronunciado.

Na variedade arábica, existem várias outras sub variedades, cada qual com sua característica peculiar:

  • Bourbon e Caturra: fortemente perfumado e doce no paladar;
  • Maragogipe : grãos de grande tamanho mas improdutivos;
  • Típico : é o tradicionalmente comercializado;
  • Tabi: sua produção é destinada ao café Gourmet;
  • Variedad Castillo: de qualidade semelhante aos demais arábicos.

Diferenças entre o café Colombiano e o Brasileiro

Nessa comparação, não pretendemos estabelecer qual objetiva ser o melhor produto, o mais saboroso, o mais forte ou mais suave, mas sim proporcionar ao leitor informações que possam agregar preferência ou identificação a um aspecto ou outro de ambas produções.

Como vimos, o café sendo um produto que depende de terreno, clima, região e muitos fatores externos (do francês: terroir), o que acentua a identificação com o seu local de produção. Mas o que ocorre é que um mesmo produto pode ter diferentes características, de acordo com as características climáticas daquele momento em específico.

É o que chamamos de “safra”. Safras podem gerar e fazer com que o mesmo produto seja totalmente diferente de um similar do ano anterior, pois mudanças climáticas e externas interferem na produção.

A bebida colombiana é considerada mais suave do que a brasileira, devido às diferenças no modo de produção. Neste país, é utilizado pelos produtores (em maioria) o método do “café lavado”: após a colheita, os frutos permanecem em água soltando assim a polpa.

Depois disso, eles passam pela fermentação, com tempo variável de duração de 12 a 36 horas e finalmente, são secados ao sol, naturalmente. Como resultado desse processo feito cuidadosamente por etapas, temos um produto brilhante, frutado e mais limpo.

No entanto, o “café lavado” é comercializado internacionalmente com um produto do tipo “C”, o que significa que ele deve ser comercializado e consumido em até 6 meses, perdendo assim características importantes de cor, sabor e aroma.

Já no produto brasileiro, todo esse sistema de produção é diferenciado. O processo denominado “natural” é realizado a seco, ou seja: o café é processado dentro da fruta. Não há aqui a etapa do “molho”, o que favorece bastante o produto brasileiro em vários quesitos, entre eles o sabor e o tempo de armazenamento.

Sendo um produto mais forte e o outro mais suave, a solução recomendada é experimentar e decidir qual o mais apropriado para o seu paladar. No entanto, convém observar que são dois produtos com características bem diferenciadas entre si!

Principais marcas no mercado

Seguindo a qualidade dos seus grãos, o produto é dividido em três categorias:

  • Supremo – são os de qualidade mais elevada;
  • Extra – qualidade inferior ao Supremo;
  • Excelso: um mix em qualidade inferior dos grãos acima.

Marcas de boa reputação são :

Don Pablo Colombian Supremo

Produto com qualidade suprema, cultivado na região de altitude acima de mil e duzentos metros. É doce, encorpado, suave e levemente ácido, com notas cítricas. Preço médio 150 reais / kg.

Volcanica Columbian Peaberry

Essa variedade é composta por grãos também de qualidade quase supremas, produtos desenvolvidos através da genética, cultivados em terra vulcânica de altas altitudes, Isso só poderia resultar num café único, com notas de chocolate, malte, cereja, nozes, finalizando com toques de madeira e chocolate. Preço médio R$ 70 / 500g.

Juan Valdez

Essa marca reúne produtores das mais variadas regiões, tais como Nariño, Sierra Nevada, Cauca, Huíla e etc. Por isso, não há somente um único sabor que a caracterize. Ao contrário, a marca era descrita como um universo de aromas e sabores feitos por baristas especializados que servem milhares de pessoas com incríveis cafés.
Preço gira em torno de R$ 36,00 / 500 gramas.

Agora que vimos as particularidades do Café Colombiano, o jeito é correr até o mercado mais próximo para comprar um pacote deste produto e decidir na prática se está aprovado ou não, ao nosso paladar.

Referências:

https://www.homegrounds.co/colombian-coffe

https://www.cafedeluxe.com/best-colombian-coffee/

https://www.littlecoffeeplace.com/colombian-coffee-brands

https://www.thecoffeebeanmenu.com/colombian-coffee-brands/

Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!