pode-matar-como-eliminar-sintomas-dor-de-cabeça-desintoxicação-diminuir-os-da-efeito-contrário-no-organismo
Curiosidades

Os 6 Efeitos Secundários do Excesso de Cafeína / Café no Organismo

Estudos afirmam que o café e o chá são muito benéficos para a saúde. Tais bebidas geralmente apresentam a cafeína em sua composição e ela é responsável por acelerar o metabolismo, o desempenho mental e físico, e ainda de aumentar o humor.

Além disso, várias pesquisas apontaram que o consumo dessas bebidas é totalmente seguro em grande parte das pessoas, desde que em quantias moderadas ou baixas.

Em contrapartida, se houver a ingestão de doses altas, os efeitos podem ser desagradáveis ou até perigosos para a saúde.

Quais são os 6 sintomas mais comuns do uso em excesso da cafeína no corpo?

Cada pessoa é única e, por isso em cada caso pode ter uma ocorrência diferente. Há algumas situações inclusive que mesmo com a dose considerada moderada, certas pessoas podem apresentar alguns desconfortos.

Confira abaixo os sintomas em caso da ingestão em excesso de cafeína:

1 – Frequência cardíaca rápida

A cafeína em excesso no organismo, pode provocar aceleração dos batimentos cardíacos, ou seja, faz o coração bater bem mais rápido.

Além disso, pode provocar também a fibrilação atrial (ritmo cardíaco modificado). Isso foi relatado por vários jovens que ingerem energéticos exageradamente.

Em outra situação, houve um caso em que uma pessoa tentou suicídio ingerindo uma dose muito alta de comprimidos e pó de cafeína.

Isso acarretou a ela uma frequência altíssima cardíaca bem como insuficiência dos rins e outros tipos de problemas bem graves para a saúde.

Vale ressaltar que, nem todas as pessoas têm esse efeito no organismo. Muitas inclusive toleram quantias altas da cafeína sem apresentar qualquer tipo de efeito.

Porém, independentemente de qualquer coisa, evite o excesso e se notar alterações na frequência ou ritmo cardíaco posteriormente a ingestão, reduza imediatamente o consumo e se necessário procure um médico.

2 – Insônia

Há quem adora tomar o café para ajudar a manter-se acordado. Ele realmente concede muita energia, porém, o exagero no consumo de cafeína é capaz de afetar o sono negativamente e sem que você perceba.

Ela é capaz de elevar o tempo que cada pessoa leva para adormecer e também de reduzir o período total do sono, nos idosos especialmente.

Vale lembrar que, as doses moderadas ou baixas não interferem no sono e nem mesmo daqueles que já sofrem com quadros da insônia mais crônica.

Além do café e do chá, produtos como refrigerante, cacau, chocolates, energéticos e outros tipos de remédios, também podem conter uma quantia bem significativa de cafeína.

Contudo, a quantidade da substância consumida diariamente que não afeta o sono, dependerá muito dos fatores particulares do organismo e também da genética.

3 – Ansiedade

Já sabemos que essa substância, é famosa por elevar a situação de alerta. Ela bloqueia os fins da adenosina, que é responsável pelo cansaço.

Ao mesmo tempo, ela estimula a liberação da adrenalina e com isso aumenta a energia da pessoa.

Embora isso muitas vezes seja benéfico, doses excessivas podem provocar nervosismo, estresse, respiração acelerada, e ansiedade cada vez mais constantes.

Estima-se que ingerir mais de 1000 mg no dia, esses sintomas surgem em grande parte das pessoas.

Para aquelas mais sensíveis, até mesmo doses mais baixas podem provocar tais efeitos.

Desse modo, deve saber que a dose contida em cada xícara pode variar muito e, por esse motivo, é preciso atentar-se para o seu comportamento diário após a ingestão do café, por exemplo.

4 – Dependência

Mesmo que tenha sido provado as vantagens da cafeína para a saúde, não é possível negar que tomá-la acaba virando rotina.

Embora ela seja capaz de desencadear composições químicas no cérebro de forma semelhante às drogas, ainda assim a cafeína não provoca a dependência da mesma forma que elas.

Entretanto, a dependência é física ou psicológica, ainda mais se houver uma ingestão excessiva.

Houve alguns estudos comprobatórios que as pessoas que ficaram um tempo sem a cafeína, demonstraram desejos fortes por ela, com um aumento das ocorrências de dores de cabeça, sintomas de abstinências e também fadiga.

Mesmo que a sua dependência não seja exatamente igual ao da cocaína ou anfetaminas, por exemplo, se houver o consumo diário e em excesso, há uma chance enorme de se tornar dependente da bebida.

5 – Alterações digestivas

Fala-se que tomar uma xícara do café todos os dias pela manhã ajuda no funcionamento do intestino.

A cafeína consegue estimular todos os movimentos do intestino, aumentar o peristaltismo e também as contrações responsáveis por mover os alimentos pelo trato da digestão.

Por essa razão, certamente se houver a ingestão sob alta dose, tende a soltar as vezes e até mesmo provocar diarreia em algumas pessoas.

Pesquisas apontam que a substância não é capaz de provocar úlcera, porém, ela pode agravar casos de refluxo em certas situações. Muitos estudos ainda estão em andamento sobre o assunto.

Devido a isso, se os sintomas aparecerem, o ideal é diminuir o consumo de chás ou de café diariamente, por exemplo.

6 – Micção e Urgência Frequentes

Sim, quanto mais se ingere a cafeína, maior é a micção. Isso se deve pelos estimulantes efeitos do complexo da bexiga.

Você já observou que todas as vezes que ingere café e/ou chá a frequência que urina aumenta?

Sim, muitos estudos apontam que esse aumento se manifestou especialmente nas pessoas com idades mais avançada ou que tenham incontinência ou bexigas hiperativas.

Desse modo, se você notar um aumento excessivo na micção bem como na urgência, é importante reduzir o consumo e dependendo da situação buscar ajuda de um médico.

Conclusão

Se você gosta de apreciar um café ou chá diariamente, não precisa parar, fique tranquilo!

A ingestão leve, baixa e moderada oferece ao nosso organismo inúmeros tipos de benefícios.

Sob outra perspectiva, você precisar tomar cuidado para não exagerar e, assim, evitar qualquer tipo de interferência ou efeitos colaterais em seu corpo e em sua vida.

Cada pessoa reage à substância de maneira particular. No entanto, para garantir as vantagens da cafeína e ficar longe dos efeitos negativos, preste atenção nos seguintes quesitos:

  • Avalie como está o seu sono;
  • Observe a sua disposição e energia ao longo do dia sem o uso da bebida.

E se identificar algum desconforto ou relação do que está sentindo com a cafeína, o melhor é diminui a ingestão. Vá diminuindo aos poucos para o seu corpo ir acostumando a nova mudança.

Aprecie com moderação!

Referências:

https://www.healthline.com/health/caffeine-overdose

https://www.verywellfit.com/what-are-the-side-effects-of-too-much-caffeine-2506047

https://www.bicycling.com/health-nutrition/a27528079/how-much-caffeine-is-too-much/

Gostou? Por favor nos ajude: compartilhe!